terça-feira, 30 de junho de 2009

Informações sobre a gripe suína (H1N1)

O que é?

Doença respiratória, semelhante a gripe, causada pelo vírus H1N1.

Como é transmitida?

De forma direta: uma pessoa infectada espirra ou tosse perto de outra e com isso o vírus é inalado.
De forma indireta: uma pessoa infectada toca em algum objeto depois de ter espirrado ou tossido com a mão na boca. Outra pessoa toca o mesmo objeto e depois leva a mão a boca ou nariz e com isso o vírus entra no organismo.

Quais os sintomas?

Parecidos com os da gripe comum são:
- Febre alta (igual ou acima de 39º);
- Tosse;
- Dor de garganta;
- Coriza, espirros;
- Dor de cabeça e/ou no corpo;
- Moleza/Prostração;
- Falta de apetite;
- Náusea, vômitos e diarréia também podem acontecer.

Como evitar?

- Evite viajar para locais com grande número de casos. Em caso de viagem utilize máscaras (as máscaras cirpurgicas comuns evitam que você passe o vírus mas não que você o contraia);
- Evite locais com grande quantidade de pessoas e/ou sem ventilação (ex:em ônibus, metrô abra as janelas);
- Evite contato com pessoas contaminadas e/ou suspeitas;
- Lave as mãos com água e sabão várias vezes ao dia e sempre que tossir e/ou espirrar;
- Se ficar doente procure um médico e permaneça de repouso em casa.

Quando tossir ou espirrar procure proteger/tapar a área com um lenço.

Siga as recomendações corretamanete pois no frio a tendência é que as pessoas prefiram ambientes mais fechados e com isso há maior chance de propagação do vírus H1N1 e também de outras doenças comuns desse período tais como: meningite, gripes e resfriados.

Como tratar?

Existem medicamentos antigripais (já utilizados contra gripe aviária)que são eficazes nos casos da nova gripe. São eles: Oseltamivirum (Tamiflu) e Zanamivir (Relenza), porém só devem ser utilizados quando prescritos por médico!
Ainda não há vacina para esta gripe porém algumas instituições já estão em estudo/produção para tal.


Não se automedique! Faz mal para sua saúde!!

Ministério da Saúde confirma mais 55 casos de gripe no país

Novo boletim do Ministério da Saúde, divulgado na tarde desta terça-feira (30), informa que foram confirmados 55 novos casos da gripe suína (H1N1) no país. A maioria dos novos pacientes, 45, está no Rio Grande do Sul. Os outros casos foram registrados no Piauí (3), Santa Catarina (3), Alagoas (1), Distrito Federal (1), Paraná (1) e Sergipe (1).

Com isso, o número de casos da influenza A chega a 680 no Brasil. O RS ocupa agora o posto de segundo Estado mais atingido pela doença, com 85 casos confirmados, atrás apenas de São Paulo, que tem 308 pacientes com o vírus. Minas Gerais tem 67 casos e o Rio de Janeiro, 66.

Segundo o ministério, "a quase totalidade desses pacientes já recebeu alta ou está em processo de recuperação". Até o momento foi registrada uma morte, no Rio Grande do Sul. Outro paciente do Estado está internado.

Até 28 de junho, o Ministério da Saúde acompanhava 673 casos suspeitos. Outros 933 já foram descartados.

Segundo o ministério, os principais locais de infecção de brasileiros são Argentina, Estados Unidos e Chile. Todos os casos registrados até o momento são autóctones, ou seja, têm vínculos epidemiológicos com pacientes procedentes do exterior. "Desse modo, o Ministério da Saúde considera que, até o momento, a transmissão no Brasil é limitada, sem evidências de sustentabilidade da transmissão do vírus de pessoa a pessoa", reitera a nota do governo federal.

De acordo com o último balanço da OMS (Organização Mundial da Saúde), 70.893 casos de gripe suína foram registrados em 116 países. Destes, 311 casos resultaram em morte.

sábado, 27 de junho de 2009

52 DICAS DE ECONOMIA - Vale a pena tentar... O planeta agradece...



1-COZINHE MAIS EM PANELA DE PRESSÃO
Você pode cozinhar tudo em panela de pressão (feijão, arroz, carne, peixe, macarrão etc.), de forma rápida e economizando 70% do gás.
2-TAMPE SUAS PANELAS AO COZINHAR
Ao tampar as panelas, você aproveita o calor que se perderia no ar.
3-COZINHE EM FOGO MÍNIMO
A comida não cozinha mais rapidamente com fogo alto, pois a água não ultrapassa 100ºC em uma panela comum.
4-ANTES DE COZINHAR, RETIRE TODOS OS INGREDIENTES DA GELADEIRA
Evite abrir e fechar a geladeira constantemente. Essa atitude desperdiça muito mais energia.
5-FAÇA USO DE GARRAFA TÉRMICA
Ao invés de abrir a geladeira o tempo todo, use uma garrafa térmica de 2 ou 5 litros com bastante gelo. A temperatura da água fica conservada o dia inteiro e você economiza energia.
6-COMA MENOS CARNE VERMELHA
A criação de bovinos é um dos maiores responsáveis pelo efeito estufa. O mau cheiro que eles exalam é metano, um gás inflamável e poluente. Além disso, a produção de carne vermelha demanda uma enorme quantidade de água. Cada 1 kg necessita de 200 litros de água potável. O mesmo quilo de frango consome 10 litros.
7-MANTENHA O MESMO APARELHO DE CELULAR
Os celulares utilizam derivados de petróleo em suas peças e materiais pesados em suas baterias. Além disso, na maioria das vezes, sua produção é feita utilizando mão-de-obra barata de países em desenvolvimento. Evite a troca constante. Se o problema for bateria, considere o custo/benefício de trocá-la e descartá-la adequadamente, encaminhando-a a postos de coleta.
8-USE MAIS VENTILADOR AO INVÉS DE AR-CONDICIONADO
Um ventilador de teto, por exemplo, gasta 90% menos energia se comparado a um ar-condicionado. Portanto, sempre que possível, use mais o ventilador. Uma outra alternativa é combinar o uso dos dois. Regule seu ar-condicionado no mínimo e ligue o ventilador de teto.
9-LIMPE OU TROQUE OS FILTROS DE SEU AR-CONDICIONADO
Um ar-condicionado sujo representa 158 quilos de gás carbônico a mais na atmosfera por ano.
10-USE SOMENTE PILHAS E BATERIAS RECARREGÁVEIS
Elas duram anos e podem ser recarregadas em torno de 1.000 vezes.
11-USE LÂMPADAS FLUORESCENTES AO INVÉS DE INCANDESCENTES
Lâmpadas fluorescentes gastam 60% menos energia que uma incandescente. Assim, você economizará 136 quilos de gás carbônico anualmente.
12-PREFIRA ELETRODOMÉSTICOS DE BAIXO CONSUMO DE ENERGIA
Escolha os aparelhos com o selo do Procel (no caso de nacionais) ou Energia Star (no caso de importados).
13-EVITE DEIXAR APARELHOS EM STANDBY
A função de standby de um aparelho usa cerca de 15% a 40% da energia consumida quando ele está em uso.
14-MUDE SUA GELADEIRA OU FREEZER DE LUGAR
Ao colocá-los próximos ao fogão, eles utilizam muito mais energia para compensar o ganho de temperatura. Mantenha-os afastados, pelo menos, 15 cm das paredes, evitando o superaquecimento. Jamais coloque roupas e tênis para secar atrás deles.
15-DESCONGELE GELADEIRAS E FREEZERS ANTIGOS A CADA 15 OU 20 DIAS
O excesso de gelo reduz a circulação de ar frio no aparelho, fazendo com que gaste mais energia para compensar. Se for o caso, troque de aparelho. Os novos modelos consomem até metade da energia dos modelos mais antigos, o que subsidia o valor do eletrodoméstico a médio/longo prazo.
16-USE MÁQUINAS DE LAVAR ROUPAS E LOUÇAS SÓ QUANDO ESTIVEREM CHEIAS
Caso você realmente precise usá-las com metade da capacidade, selecione os modos de menor consumo de água. Se você usa lava-louças, não é necessário usar água quente para pratos e talheres pouco sujos. Só o detergente já
resolve.
17-RETIRE IMEDIATAMENTE AS ROUPAS DA MÁQUINA DE LAVAR QUANDO ESTIVEREM LIMPAS
As roupas esquecidas na máquina de lavar ficam muito amassadas, exigindo muito mais trabalho e tempo para passar, consumindo, assim, muito mais energia elétrica.
18-TOME BANHO DE CHUVEIRO E GASTE DE 10 A 15 MINUTOS
Um banho de banheira consome até quatro vezes mais energia e água que o de chuveiro.
19-USE MENOS ÁGUA QUENTE
Aquecer água consome muita energia. Para lavar a louça ou as roupas, prefira água morna ou fria.
20-PENDURE AS ROUPAS AO INVÉS DE USAR A SECADORA
Você pode economizar mais de 317 quilos de gás carbônico se pendurar as roupas durante metade do ano, ao invés de usar a secadora.
21-FAÇA RECICLAGEM EM CASA E NO TRABALHO
Se a sua cidade ou bairro não tem coleta seletiva, leve o lixo até um posto de coleta. Lembre-se de que o material reciclável deve ser lavado (no caso de plásticos, vidros e metais) e dobrado (papel).
22-FAÇA COMPOSTAGEM
Cerca de 3% do metano que ajuda a causar o efeito estufa é gerado pelo lixo orgânico doméstico. Aprenda a fazer compostagem: além de reduzir o problema, você terá um jardim saudável e bonito.
23-REDUZA O USO DE EMBALAGENS
Embalagem menor é sinônimo de desperdício de água, combustível e recursos naturais. Prefira embalagens maiores, de preferência com refil. Evite ao máximo comprar água em garrafinhas. Leve a sua sempre com você.
24-USE PAPEL RECICLADO
Produzir papel reciclado consome de 70 a 90% menos energia do que o papel Comum. E poupa nossas florestas.
25-PLANTE UMA ÁRVORE
Uma árvore absorve uma tonelada de gás carbônico durante sua vida. Plante árvores em seu jardim ou inscreva-se em programas como o SOS Mata Atlântica e Iniciativa Verde.
26-PREFIRA ALIMENTOS PRODUZIDOS EM SUA REGIÃO
Fazendo isso, além de economizar combustível, você incentiva o crescimento de sua comunidade, bairro ou cidade.
27-COMPRE ALIMENTOS FRESCOS AO INVÉS DE CONGELADOS
Comida congelada, além de mais cara, consome até 10 vezes mais energia para ser produzida. É uma praticidade que nem sempre vale à pena.
28-COMPRE ALIMENTOS ORGÂNICOS
Além de não usar agrotóxicos, os orgânicos respeitam os ciclos de vida de animais, insetos e ainda por cima absorvem mais gás carbônico da atmosfera que a agricultura 'tradicional'. Se toda a produção de soja e milho dos EUA fosse orgânica, cerca de 240 bilhões de quilos de gás carbônico seriam removidos da atmosfera. Portanto, incentive o comércio de orgânicos para que os preços possam cair com o tempo.
29-ANDE MENOS DE CARRO
Se você deixar o carro em casa 2 vezes por semana, deixará de emitir 700 quilos de poluentes por ano.
30-NÃO DEIXE O BAGAGEIRO VAZIO EM CIMA DO CARRO
Qualquer peso extra no carro causa aumento no consumo de combustível. Um bagageiro vazio gasta 10% a mais de combustível, devido ao seu peso e aumento da resistência do ar.
31-MANTENHA SEU CARRO REGULADO
Calibre os pneus a cada 15 dias e faça uma revisão completa a cada seis meses ou de acordo com a recomendação do fabricante. Carros regulados poluem menos. A manutenção correta de apenas 1% da frota de veículos mundial representa meia tonelada de gás carbônico a menos na atmosfera.
32-LAVE O CARRO A SECO
Existem diversas opções de lavagem sem água, algumas até mais baratas do que a lavagem tradicional, que desperdiça centenas de litros a cada lavagem. Procure no posto de gasolina ou no estacionamento do shopping.
33-QUANDO FOR TROCAR DE CARRO, ESCOLHA UM MODELO MENOS POLUENTE
Apesar da dúvida sobre o álcool ser menos poluente que a gasolina ou não, existem indícios de que parte do gás carbônico emitido pela sua queima é reabsorvida pela própria cana-de-açúcar plantada. Carros menores e de motor 1.0 poluem menos.
34-USE O TELEFONE/NET FONE OU A INTERNET
Usar o telefone/NET FONE ou Skype pode poupar você de stress, além de economizar um bom dinheiro e poupar a atmosfera.
35-VOE MENOS, REÚNA-SE POR VIDEOCONFERÊNCIA
Reuniões por videoconferência são tão efetivas quanto as presenciais. E deixar de pegar um avião faz uma diferença significativa para a atmosfera.
36-ECONOMIZE CDs E DVDs
Um CD leva cerca de 450 anos para se decompor e, ao ser incinerado, volta como chuva ácida, como a maioria dos plásticos. Utilize mídias regraváveis, como CD-RW's, drives USB ou mesmo e-mail ou FTP para carregar ou partilhar seus arquivos. Hoje em dia, são poucos os arquivos que não podem ser disponibilizados virtualmente.
37-PROTEJA AS FLORESTAS
Em tempos de aquecimento global, as árvores precisam de mais defensores do que nunca. O papel delas no aquecimento global é crítico, pois mantém a quantidade de gás carbônico controlada na atmosfera.
38-CONSIDERE O IMPACTO DE SEUS INVESTIMENTOS
O dinheiro que você investe não rende juros sozinho. Isso só acontece quando ele é investido em empresas ou países que dão lucro. Na onda da sustentabilidade, vários bancos estão considerando o impacto ambiental das empresas em que investem o dinheiro de seus clientes. Informe-se com o seu gerente antes de escolher o melhor investimento para você e o meio ambiente.
39-INFORME-SE SOBRE A POLÍTICA AMBIENTAL DAS EMPRESAS QUE VOCÊ CONTRATA
Seja o banco onde você investe ou o fabricante do shampoo que utiliza, todas as empresas deveriam ter políticas ambientais claras para seus consumidores. Ainda que a prática esteja se popularizando, muitas empresas ainda pensam mais nos lucros e na imagem institucional do que em ações concretas. Por isso, não olhe apenas para as ações que a empresa promove, mas, também, para a margem de lucro alardeada todos os anos.
40-DESLIGUE O COMPUTADOR
Desligue o computador sempre que for ficar mais de 2 horas sem utilizá-lo e o monitor, por até quinze minutos.
41-TROQUE SEU MONITOR
O maior responsável pelo consumo de energia de um computador é o monitor. Monitores de LCD são mais econômicos e ocupam menos espaço na mesa.Doe os antigos a instituições de caridade.
42- DESLIGUE O AR CONDICIONADO UMA HORA ANTES DO FINAL DO EXPEDIENTE
Em um período de 8 horas, isso equivale a 12,5% de economia diária, o que significa quase um mês de economia no final do ano. Além disso, a temperatura começa a ser mais amena no final do expediente.
43-NÃO DEIXE AS CRIANÇAS BRINCAREM COM ÁGUA
Brincadeiras com água passam a equivocada idéia de que ela seja um recurso infinito, justamente para quem mais precisa de orientação. Ensine às crianças o valor desse tão precioso bem.
44-ECONOMIZE TOALHAS E LENÇÓIS NO HOTEL
Em hotéis, o hóspede tem a opção de não ter as toalhas e os lençóis trocados diariamente, para economizar água e energia.
45-PARTICIPE DE AÇÕES VIRTUAIS
A internet é uma arma poderosa na conscientização e mobilização das pessoas. Um exemplo é o site Click Árvore, que planta árvores com a ajuda dos internautas. Informe-se e aja!
46-INSTALE UMA VÁLVULA EM SUA DESCARGA
Instale uma válvula para regular a quantidade de água liberada em seu vaso sanitário: mais quantidade para o número 2, menos para o número 1!
47-NÃO PEÇA COMIDA PARA VIAGEM
Dessa forma, você economiza as embalagens de plástico e isopor utilizadas.
48-REGUE AS PLANTAS À NOITE
Ao regar as plantas à noite ou de manhãzinha, você impede que a água se perca na evaporação e também evita choques térmicos que podem agredir suas plantas.
49-FREQÜENTE RESTAURANTES NATURAIS/ORGÂNICOS
Ainda que você não seja vegetariano, experimente os novos sabores que essa onda verde está trazendo e, assim, estará incentivando o mercado de produtos orgânicos, livres de agrotóxicos e menos agressivos ao meio-ambiente.
50-VÁ DE ESCADA
Para subir até dois andares ou descer três, que tal ir de escada? Além de fazer exercício, você economiza a energia elétrica dos elevadores.
51-EVITE IMPRIMIR DESNECESSARIAMENTE
Para cada 40 kg de papel, uma árvore é cortada.
52-USE A LINHA DE RETORNÁVEIS DA NOVEL AO INVÉS DE SACOLAS PLÁSTICAS
As sacolinhas plásticas são um dos maiores inimigos do meio ambiente. Elas não apenas liberam gás carbônico e metano na atmosfera, como também poluem o solo e o mar.

Por que reduzir, reutilizar e reciclar



Tirar do lixo materiais que podem ser reciclados traz benefícios à sociedade e ao meio ambiente.
A quantidade de lixo domiciliar produzida no Brasil atualmente é de 115 mil toneladas por dia. Se esse lixo fosse colocado de uma só vez em caminhões, haveria uma fila de 16.400 deles ocupando 150 quilômetros de estrada. Em apenas três dias, essa fila ultrapassaria a distância entre São Paulo e Rio de Janeiro.
Cerca de 30% de todo o lixo é composto de materiais recicláveis como papel, vidro, plástico e latas. Tirar esses materiais do lixo traz uma série de vantagens. Uma delas é recursos naturais e de energia que se faz com a reciclagem. Cada lata de alumínio reciclada, por exemplo, economiza energia elétrica suficiente para manter uma lâmpada de 60 watts acesa por quatro horas. E a reciclagem de 100 toneladas de plástico evita o uso de 1 tonelada de petróleo.
A coleta seletiva também diminui o volume de lixo que vai para os aterros sanitários, aumentando sua vida útil e evitando que as prefeituras tenham de gastar dinheiro com a construção de novos aterros. Outro ganho para a sociedade acontece quando os materiais recicláveis são encaminhados para centrais de triagem mantidas por cooperativas de catadores, que têm ali um trabalho mais digno do que vasculhar recicláveis pelas ruas ou em lixões.

O que reciclar

Papel
Separe para reciclagem:
• papéis de escritório, papelão, caixas em geral, jornais, revistas, livros, listas telefônicas, cadernos, papel cartão, cartolinas, embalagens longa-vida, listas telefônicas, livros.
Jogue no lixo, pois não é reciclável:
•papel carbono, celofane, papel vegetal, termofax, papéis encerados ou palstificados, papel higiênico, lenços de papel, guardanapos, fotografias, fitas ou etiquetas adesiva.

Plástico
Separe para reciclagem, retirando antes o excesso de sujeira:
•sacos, CDs, disquetes, embalagens de produtos de limpeza, PET (como garrafas de refrigerante), canos e tubos, plásticos em geral.
Jogue no lixo, pois não é reciclável:
•plásticos termofixos (usados na indústria eletro-eletrônica e na produção de alguns computadores, telefones e eletrodomésticos), embalagens plásticas metalizadas (como as de salgadinhos).

Vidros
Separe para reciclagem, retirando antes o excesso de sujeira:
•garrafas de bebida, frascos em geral, potes de produtos alimentícios, copos.
Jogue no lixo, pois não é reciclável:
•espelhos, cristais, vidros de janelas, vidros de automóveis, lâmpadas, ampolas de medicamentos, cerâmicas, porcelanas, tubos de TV e de computadores.

Metais
Separe para reciclagem, retirando antes o excesso de sujeira:
•latas de alumínio (refrigerante, cerveja, suco), latas de produtos alimentícios (óleo, leite em pó, conservas), tampas de garrafa, embalagens metálicas de congelados.
Jogue no lixo, pois não é reciclável:
•clips, grampos, esponjas de aço, tachinhas, pregos e canos.

Prefeitura de Guarulhos (SP) abre 221 vagas: até R$ 7 mil

Cargos englobam todos os níveis de escolaridade. Os salários variam de R$ 1.010,57 a R$ 7.163,32.

A Prefeitura de Guarulhos (SP) está com inscrições abertas para 221 vagas. Os salários variam de R$ 1.010,57 a R$ 7.163,32 .

Os cargos são os seguintes: médicos de várias especialidades (190), especialista em saúde – nutricionista (5), especialista em saúde – educador em saúde pública (5).

Há ainda cadastro reserva para cirurgião dentista, médico do trabalho, nutricionista, técnico de saúde – prótese dentária e técnico de saúde – higiene dentária.

As inscrições devem ser feitas até o dia 29 de junho pelo site http://www.ibamsp-concursos.org.br/ -, ou pessoalmente até o dia 30, das 10h às 16h, no posto de atendimento do Ibam instalado na Biblioteca Monteiro Lobato (Rua João Gonçalves, nº 439 – Centro de Guarulhos).

O valor da taxa de inscrição varia conforme a escolaridade: R$ 25 (nível fundamental), R$ 38 (nível médio) e R$ 66 (nível superior).

A aplicação das provas objetivas está prevista para o dia 26 de julho e serão realizadas na cidade de Guarulhos.

sexta-feira, 26 de junho de 2009

Casos de nova gripe no Brasil já chegam a 522



Casos de nova gripe no Brasil já chegam a 522, anuncia Temporão
São Paulo é o estado com maior incidência de influenza A: 260.
Ministério anunciou mudança na forma de confirmação de casos.

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, anunciou nesta sexta-feira (26) que o número de casos confirmados da nova gripe chegou a 522 em todo o país. Nesta sexta, foram confirmados 70 casos novos da doença. Temporão anunciou também mudanças na forma de confirmação.

Segundo ele, quando houver um caso confirmado em uma instituição – uma escola ou uma empresa, por exemplo – todas as pessoas que apresentarem sintomas da doença serão consideradas infectadas. Segundo Temporão, os EUA também seguem esse protocolo, de confirmar casos por vínculos em lugares fechados. Essa nova orientação, no entanto, não vale para residências. Nesse caso, o sistema para identificar o vírus continua o mesmo.

Os novos casos confirmados da doença nesta sexta são em São Paulo (43), Minas Gerais (6), Paraná (5), Distrito Federal (5), Rio de Janeiro (4), Santa Catarina (3), Piauí (2), Espírito Santo (1) e Pará (1).

Segundo Temporão, todos os casos novos são de pessoas que vieram do exterior ou que tiveram contato próximo com elas. No total, São Paulo é o estado que registra a maioria dos casos, 260, e que há dois casos no Rio Grande do Sul que "inspiram cuidados." Apesar disso, o ministro voltou a afirmar que o vírus "não circula" no Brasil.

Temporão disse ainda que a decisão de fechar escolas ou estabelecimentos públicos deverá ser tomada de acordo com os protocolos das vigilâncias sanitárias regionais. Para ele, porém, o fechamento de instituições e a antecipação de férias em escolas em alguns estados podem ter sido "exageradas."

O ministro informou que somente as pessoas que tiverem agravamento do estado de saúde nas primeiras 48 horas após o surgimento dos sintomas iniciais vão receber medicamento contra o vírus.

Até quinta-feira, todos os casos suspeitos notificados até 48 horas após os primeiros sintomas recebiam o medicamento, chamado fosfato de oseltamivir. Segundo o ministro, a medida foi tomada para evitar que um número significativo de pessoas tomasse o remédio logo nos primeiros dias e o abandonasse quando não fosse confirmado o caso, como vinha acontecendo.

O ministro reiterou que a situação é de "tranquilidade". Apesar disso, a recomendação para que pessoas com situações mais delicadas, como crianças abaixo de dois anos ou pessoas com doenças imunodepressivas, evitem viagens a países com transmissão sustentada continua valendo, disse.

Temporão disse que espera um aumento do número de casos, por causa do período do inverno no hemisfério Sul e do período de férias. "A nossa expectativa é que, sim, teremos um aumento no número de casos nos próximos dias, nas próximas semanas", afirmou.

Casos pelo mundo

Pelo mundo, o número de casos da doença não para de crescer. A Organização Mundial da Saúde (OMS) anunciou em seu boletim desta sexta-feira (26) um aumento de 3.947 casos da gripe em relação ao último registro, de quarta-feira.

Segundo a agência da ONU, há hoje no mundo 59.814 infectados pelo vírus influenza A (H1N1) e 263 pessoas mortas em decorrência da doença. O maior aumento de casos ocorreu no Chile, que registrou mais 871 casos em apenas dois dias.

Combate à doença

Em nota, o Ministério da Saúde detalhou as novas medidas para enfrentar a doença no Brasil. Veja os principais pontos.

Medida 1: Os estados e municípios passaram a contar com parâmetros básicos, para orientar eventuais suspensões de atividades em locais públicos ou coletivos. É o caso de creches, escolas, empresas, por exemplo. A recomendação é que se evite fechamentos desnecessários desses locais, o que poderia aumentar essa sensação de intranquilidade entre a população. O que o ministro reiterou é que não sejam tomadas medidas sem a consulta prévia aos órgãos de vigilância sanitária e de saúde pública de cada município.

Medida 2: Houve ampliação dos cuidados para se reduzir o potencial de resistência do vírus ao tratamento e para se evitar que uma maior quantidade de pessoas desenvolva reações à medicação aplicada para os casos de Influenza A (H1N1). Isso significa uma mudança de protocolo no atendimento dos pacientes.

“A preocupação é dar medicamento nos casos clínicos onde não é necessário dar medicamento, onde o próprio organismo vai dar um andamento natural a essa doença sem nenhum tipo de risco à pessoa. Estou impedindo um contato excessivo do vírus com o medicamento e uma futura possibilidade de desenvolvimento de resistência”, observou Temporão. “A grande maioria das pessoas que estão contraindo esse vírus desenvolvem um quadro brando de doença, com recuperação sem a necessidade de tratamento medicamentoso”.

Medida 3: O processo de confirmação dos casos, em parte, também muda. Até agora, eram utilizadas amostras de material biológico individual para confirmar a doença em cada paciente. A confirmação era sempre laboratorial e individual. Agora, quando houver ocorrência de infectação comprovada laboratorialmente em alguém, as pessoas com vínculo epidemiológico com aquele paciente, em uma mesma instituição – como escolas, creches e empresas –, e que apresentem sintomas do Influenza A (H1N1), passam a consideradas infectadas. O vínculo epidemiológico, então, tornar-se suficiente para a confirmação.

Até então, as confirmações laboratoriais ocorriam na Fundação Oswaldo Cruz (RJ), no Instituto Evandro Chagas (PA) e no Instituto Adolfo Lutz (SP). O ministro Temporão ainda anunciou que outros três laboratórios do país passarão a fazer a confirmação da doença. Essa medida deve-se ao aumento da demanda aos laboratórios de referência para o Influenza A (H1N1). Apesar desse crescimento, há kits suficientes para os diagnósticos.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Brasil tem 452 casos confirmados da nova gripe



Ministério informou mais 53 infectados pela Influenza A.
Nova gripe está em 18 estados e no Distrito Federal.

O Ministério da Saúde confirmou mais 53 casos de infecção pelo vírus Influenza A (H1N1), nesta quinta-feira (25). Os novos casos estão em São Paulo (31), Rio Grande do Sul (11), Minas Gerais (6), Rio de Janeiro (2), Ceará (1), Distrito Federal (1) e Goiás (1).

O número de casos confirmados de Influenza A no país chega a 452. Na quarta-feira (24), eram 399. O ministério corrigiu o número de casos em Minas Gerais e na Bahia. O boletim de ontem informa um novo caso na Bahia, mas, de acordo com o ministério, o caso estava em Minas Gerais.

Com os novos casos e a correção, os estados com a nova gripe são São Paulo (217), Rio de Janeiro (48), Santa Catarina (40), Minas Gerais (59), Distrito Federal (14), Rio Grande do Sul (28), Tocantins (4), Espírito Santo (8), Mato Grosso (3), Paraná (9), Bahia (4), Goiás (4), Alagoas (4), Rio Grande do Norte (1) Maranhão (1), Sergipe (4), Ceará (1), Pernambuco (2) e Maranhão (1).

Dois pacientes do Rio Grande do Sul, infectados no exterior, continuam internados e estão sendo acompanhados pelo Ministério da Saúde.

Segundo o ministério, existem 310 casos suspeitos da nova gripe no Brasil. Outros 677casos foram descartados.

O Ministério da Saúde disse estar mantendo “total transparência sobre os acontecimentos relacionados ao vírus Influenza A (H1N1)” e que “sua obrigação é alertar os brasileiros sobre os locais onde a transmissão deixou de ser limitada”.

Dicas de Economia - Água



Não deixe uma torneira pingando

Esquecer uma torneira pingando ou adiar o conserto de um pinga-pinga são atitudes comuns. No entanto, uma torneira pingando pouco mais de uma gota por segundo, em média, pode desperdiçar em um dia 46 litros d´água. Em um ano, esse desperdício chega a 16.500 litros. Se 10.000 famílias evitassem deixar uma torneira da casa pingando, a água economizada em 1 ano poderia abastecer toda a população de São Luís, capital do Maranhão, durante 1 dia.

Escove os dentes com a torneira fechada

Se você escovar os dentes com a torneira aberta durante 2 minutos, vai gastar mais ou menos 13,5 litros de água, mas só precisaria de 0,5 litro se abrisse a torneira apenas quando necessário. Escovando os dentes três vezes ao dia, o desperdício será de 37,5 litros diariamente.
Se a população de Recife resolvesse escovar os dentes com a torneira fechada, a água economizada a cada dia seria suficiente para abastecer quase todos os habitantes de Florianópolis em um dia.
E se você decidir fazer o mesmo todos os dias durante um ano, só com esse pequeno gesto, terá poupado quase 14 mil litros, correspondentes a um caminhão-pipa cheio de água.

Instale torneiras com sensores automáticos

Imagine um edifício comercial de dez andares onde circulem cerca de 2.000 pessoas, em média, por dia. Se cada uma dessas pessoas utilizar a torneira dos lavatórios 1 minuto por dia (lavar as mãos duas vezes, por exemplo), serão gastos 32.000 litros de água diariamente nesta atividade.
Se o edifício trocar todas as torneiras por aquelas com sensores de funcionamento automático, que só abrem quando as mãos se aproximam delas, a economia de água chega a 40%. Se vinte edifícios tomarem a mesma medida, em cinco anos serão poupados 470 milhões de litros de água, o suficiente para abastecer 7 mil pessoas em um ano.



Diminua o tempo do banho

Se você mora em apartamento e seu banheiro tem ducha, gasta em média 160 litros de água durante um banho de 10 minutos. Mas pode tentar diminuir esse tempo fechando o chuveiro para se ensaboar ou lavar os cabelos. Assim, economizará em um ano cerca de 30 mil litros de água.
Se 60 famílias de um condomínio fizerem a mesma coisa, em um ano serão poupados 7 milhões de litros de água, o suficiente para encher quase três piscinas olímpicas. Se 5000 famílias adotarem o mesmo hábito, a água economizada em 1 ano é equivalente à quantidade que cai nas Cataratas do Iguaçu durante 5 minutos.

Dicas de economia - Economize no banheiro



As bacias sanitárias com caixa acoplada gastam, em média, 12 litros de água a cada vez que a descarga é acionada. Se você tem em sua casa descargas desse tipo e usa o banheiro cinco vezes por dia, gasta 60 litros de água diariamente.
Existe, porém, uma maneira simples de reduzir este gasto, colocando uma garrafa PET (aquelas de refrigerante) de 2 litros, cheia de água, dentro da caixa d´água da bacia. Com isso, você estará economizando 2 litros por descarga, ou 10 litros por dia.
Se esta prática for adotada em todos os banheiros da casa em que habita uma família de quatro pessoas, essa economia será de 40 litros por dia. Em um ano, essa água poupada é suficiente para matar a sede de 20 pessoas durante o ano inteiro.
E não se esqueça de nunca usar o vaso sanitário como lixeira, pois cada vez que você aciona a descarga para se livrar de papéis ou pontas de cigarro joga fora sem necessidade água limpa e tratada.
Dica: Existem bacias sanitárias mais modernas, com apenas 6 litros de água. Para saber se a sua é desse tipo, basta tentar colocar a garrafa PET dentro. Se não couber, significa que você já está gastando uma quantidade bem menor de água por descarga.

domingo, 21 de junho de 2009

O QUE É CONSUMO CONSCIENTE

Pense rápido: o que é consumo? A palavra é bem conhecida de todos e, seguramente, tem algum significado para você. Consumir implica em um processo de seis etapas que, normalmente, realizamos de modo automático e, mais ainda, muitas vezes impulsivo. O mais comum é as pessoas associarem consumo a compras, o que está correto, mas incompleto, pois não engloba todo o sentido do verbo. A compra é apenas uma etapa do consumo. Antes dela, temos que decidir o que consumir, por que consumir, como consumir e de quem consumir. Depois de refletir a respeito desses pontos é que partimos para a compra. E após a compra, existe o uso e o descarte do que foi adquirido.

Considerando todos esses aspectos do consumo, você vai ver que ele está presente praticamente o tempo todo em nossas vidas. Ao acordar, vamos ao banheiro e consumimos água, eletricidade, pasta de dente e sabonete. Depois tomamos café-da-manhã e lá vai café, pão, manteiga, geléia, frutas, água, eletricidade. E mais água para fazer o café e para lavar a louça. Quando saímos para o trabalho, a menos que se vá a pé ou de bicicleta, consumimos combustível, mesmo que seja do ônibus, e no caso do metrô, energia elétrica. Dependendo da ocupação de cada um, haverá diferentes tipos de consumo, mas é quase certo que haverá uso de eletricidade, papel e cafezinho, por exemplo. Portanto, mesmo que você passe o dia todo sem sequer abrir a carteira, terá consumido muita coisa.

Por isso o consumo é algo muito importante e que provoca diversos impactos. Primeiro em nós mesmos, já que temos que arcar com as despesas do consumo e também nos beneficiamos do bem estar derivado dele. Depois, o impacto na economia, porque ao adquirirmos algo, movimentamos a máquina de produção e distribuição, ativando a economia. Também afeta a sociedade, porque é dentro dela que ocorrem a produção, as trocas e as transformações provocadas pelo consumo. E por fim, o impacto sobre a natureza, que nos fornece as matérias-primas para a produção de tudo o que consumimos.
O consumo é um dos nossos grandes instrumentos de bem estar, mas precisamos aprender a produzir e consumir os bens e serviços de uma maneira diferente da atual, visto que o modelo hoje utilizado de produção e consumo contribuiu para aprofundar alguns aspectos da desigualdade social e do desequilíbrio ambiental. Mas as coisas não precisam ser assim e existe um enorme potencial para que o consumo que nos trouxe a essa situação, se exercido de outra forma, nos tire dela. Vamos ver como?

Consumo Consciente
Bem, agora que você já sabe que muitos dos nossos atos são atos de consumo e que eles impactam a sua vida e as condições da vida no planeta, chegou a hora de saber como você pode usar suas escolhas de consumo para ajudar a construir um mundo social e ambientalmente melhor. O caminho passa pela adoção do consumo consciente. E o que é consumo consciente? É consumir levando em consideração os impactos provocados pelo consumo. Explicando melhor: o consumidor pode, por meio de suas escolhas, buscar maximizar os impactos positivos e minimizar os negativos dos seus atos de consumo, e desta forma contribuir com seu poder de consumo para construir um mundo melhor. Isso é Consumo Consciente. Em poucas palavras, é um consumo com consciência de seu impacto e voltado à sustentabilidade.

O consumidor consciente busca o equilíbrio entre a sua satisfação pessoal e a sustentabilidade do planeta, lembrando que a sustentabilidade implica em um modelo ambientalmente correto, socialmente justo e economicamente viável. O consumidor consciente reflete a respeito de seus atos de consumo e como eles irão repercutir não só sobre si mesmo, mas também sobre as relações sociais, a economia e a natureza. O consumidor consciente também busca disseminar o conceito e a prática do consumo consciente, fazendo com que pequenos gestos de consumo realizados por um número muito grande de pessoas promovam grandes transformações.

O consumo consciente pode ser praticado no dia-a-dia, por meio de gestos simples que levem em conta os impactos da compra, uso ou descarte de produtos ou serviços. Tais gestos incluem o uso e descarte de recursos naturais como a água, a compra, uso e descarte dos diversos produtos ou serviços, e a escolha das empresas das quais comprar, em função de sua responsabilidade sócio-ambiental. Assim, o consumo consciente é uma contribuição voluntária, cotidiana e solidária para garantir a sustentabilidade da vida no planeta.

Praticar o consumo consciente consiste numa atitude de liberdade de escolha e de protagonismo da própria existência. É uma tomada de posição clara, democrática e ética. O consumo consciente fatalmente irá gerar uma reflexão e tal reflexão pelos consumidores deverá gerar uma cadeia de estímulos que irá contagiar positivamente as empresas e seus funcionários, sua família, colegas e amigos que, diante do exemplo, serão impelidos a refletir sobre os seus próprios atos de consumo.

Para ficar mais claro, vamos dar um exemplo simples. Você já deve ter ouvido falar que a água é um recurso natural escasso e que cerca de 30% da população mundial não tem acesso à água tratada de boa qualidade. Portanto, mesmo que você consiga arcar com sua conta de água, e portanto possa, em princípio, gastar o montante de água que lhe aprouver, tal fato trará como impacto a não disponibilidade de água, um recurso precioso e muito escasso, para um grande número de pessoas. Além disso, antes da água chegar à sua torneira, ela é tratada. Esse tratamento custa dinheiro. Se você economizar, o volume de água tratada será menor e os custos serão mais baixos. Caso contrário, para aumentar o abastecimento, a prefeitura terá de investir em novas estações de tratamento, que exigirão investimentos e usarão o dinheiro que poderia ser aplicado em outras áreas, tais como saúde, educação ou transporte. Um outro ponto a considerar é que, se a água for usada em quantidade maior do que a realmente necessária, talvez as fontes usadas já não consigam atender a demanda. Se isso acontecer, as autoridades terão de buscar água mais longe, o que provavelmente vai encarecer o custo da água e vai dificultar o acesso a ela pelas populações de mais baixa renda.

A falta de água de boa qualidade provoca diversos males. Entre 1995 e 2000, só no Brasil, ocorrerram 700 mil internações hospitalares por doenças relacionadas à falta de água e saneamento básico. Portanto, quando você fecha a torneira ao escovar os dentes, ao se ensaboar no banho e ao lavar a louça, você está praticando um ato de consumo consciente, um ato que terá um impacto positivo sobre a sociedade porque ajudará a preservar água para os outros; terá um impacto positivo para a economia porque adiará a necessidade de novos investimentos no setor; terá um impacto positivo sobre a natureza porque não estará pressionando as nascentes; e terá um impacto positivo para você, que vai economizar na conta de água.

CONSUMO CONSCIENTE

É consumir diferente: tendo no consumo um instrumento de bem estar e não fim em si mesmo.

É consumir solidariamente: buscando os impactos positivos do consumo para o bem estar da sociedade e do meio ambiente.

É consumir sustentavelmente: deixando um mundo melhor para as próximas gerações.


Fonte: Instituto Akatu - www.akatu.org.br

Respostas para quem quer ter atitudes ecologicamente corretas – mas ainda não sabe como agir

Algumas pessoas acreditam que o computador gasta muita energia para ser ligado. É mais econômico deixá-lo em estado de espera por algumas horas?
O micro realmente gasta mais energia ao ser ligado para acionar a tela e os drivers. Isso dura alguns segundos, o que não justifica deixá-lo ligado sem uso por muito tempo. A economia de energia depende de outros fatores. Uma tela de LCD gasta 50% menos que um monitor antigo. O consumo também aumenta em ambientes mais quentes.

Se eu trocar minha geladeira antiga por um modelo que gasta menos energia, não estarei gerando mais lixo?
Você não precisa descartar sua geladeira em lixões. Se ela ainda funciona, procure doá-la. Algumas prefeituras, como a de São Paulo, recolhem esse tipo de equipamento. Há também cooperativas que reciclam parte do eletrodoméstico.

As fraldas descartáveis geram grande quantidade de lixo. Mas quem aceitaria voltar para a fralda de pano?
As de pano realmente seriam menos agressivas, já que as descartáveis levam até 500 anos para se decompor. Nos Estados Unidos, já existe uma opção mais ecológica, da gDiapers. Ela tem uma calça plástica lavável e, dentro, um refil absorvente e biodegradável, que pode, segundo o fabricante, ser jogado na privada.

Dizem que é importante separar embalagens de alimentos para reciclagem. Mas eu não desperdiço água para lavá-las?
Você deve lavá-las, mas basta uma limpeza rápida. Gasta-se menos água nessa lavagem do que o necessário para fabricar uma embalagem nova, sem reciclagem.

Há locais onde se coleta o óleo de cozinha usado para transformá-lo em biodiesel. Vale a pena gastar o combustível de meu carro para levá-lo até lá?
Não saia de casa só para entregar o óleo. Aproveite quando o local de coleta fizer parte de seu caminho. Lojas do Pão de Açúcar já recebem óleo de cozinha em todo o Estado de São Paulo. Reciclar o óleo de cozinha também evita que ele seja jogado na pia. O óleo se mistura com a água e atrapalha o tratamento de esgotos.

Onde devo jogar o papel higiênico usado? No cesto, gera mais volume de lixo. E, no vaso, não atrapalha o tratamento de esgoto?
Em cidades onde o esgoto é tratado, o papel pode ir para a privada. Em países da Europa, é comum não encontrarmos lixeiras nos banheiros. Mas jogar o papel no lixo também não faz mal. Nos aterros, ele demora pouco para se decompor.

No trabalho, é melhor usar copos descartáveis ou levar a própria caneca de cerâmica? Afinal, os de plásticos são recicláveis e, quando as canecas quebram, a produção de uma substituta consome água e energia.
A caneca de cerâmica é melhor. Outra opção é a de alumínio, que não quebra e é reciclável. Nem sempre os copos de plástico são separados do lixo comum e encaminhados para a reciclagem. Nos lixões, eles demoram mais de cem anos para se decompor.

Fonte: Revista Época

sábado, 20 de junho de 2009

Como reduzir o lixo



O Brasil perde cerca de US$ 10 bilhões por deixar de reaproveitar os resíduos que produz.
Em média, o brasileiro que vive nas grandes cidades produz um quilo de lixo diariamente. Em alguns períodos do ano, o descarte é ainda maior. "No Natal, a produção de resíduos de uma pessoa aumenta de um para até quatro quilos por dia", afirma Ivone Silva, professora do Departamento de Ciências Exatas e da Terra da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Ivone coordenou recentemente um mapeamento dos resíduos domésticos de Diadema, na Grande São Paulo, para mostrar a importância de aumentar o programa de reciclagem da cidade onde mora. Junto com duas alunas de Ciências Biológicas, coletou 200 quilos de lixo domiciliar de uma área de transbordo e analisou sua composição. "O trabalho vai auxiliar na gestão desses resíduos em Diadema e mostrar a necessidade de ampliar o programa de reciclagem no município", diz Ivone. "Devemos começar a combater o lixo pensando: ‘Pra que eu quero isso?’", afirma.

Segundo a pesquisa em Diadema, metade do que as pessoas jogam fora é composta de material reciclável, e 30% do lixo poderia não estar lá se os programas de reciclagem fossem mais efetivos. Das 400 toneladas diárias de lixo coletadas em Diadema, pouco menos da metade é composta de material orgânico. O restante são papéis e papelões (15,4%), plásticos moles (10,6%), trapos (7,4%), fraldas (6,2%), plásticos duros (4,8%) e vidro e alumínio, que não chegam a 2%.

Muito do que vai para os aterros sanitários poderia ser reaproveitado. O índice de reciclagem no país, em torno de 20%, é baixo se comparado com países desenvolvidos. Na Alemanha, por exemplo, 46% dos resíduos são reciclados. Ivone critica a falta de consciência das pessoas na escolha de produtos com embalagens mais práticas em detrimento daqueles que produzem menos lixo. Um argumento para estimular a reciclagem é econômico. De acordo com o Instituto Brasil Ambiente, com o atual índice de material reciclado, o país perde US$ 10 bilhões anualmente por não reaproveitar os resíduos. Sem contar as despesas de transportes para aterros, que estão cada vez mais distantes dos centros urbanos.
Fonte: REVISTA ÉPOCA

Conjuntivite

CONJUNTIVITE

A conjuntivite é uma doença que se caracteriza pela inflamação da conjuntiva, causada por agentes tóxicos, alergias, bactérias ou vírus.
A conjuntiva é a membrana transparente que recobre o globo ocular e a parte interna da pálpebra.

Principais Sintomas:
- olhos vermelhos;
- secreção (o tipo depende da causa);
- lacrimejamento;
- pálpebras inchadas;
- sensação de corpo estranho nos olhos;
- intolerância à luz;
- visão embaçada;
- visão borrada.

A secreção da conjuntivite viral é mais esbranquiçada, em pequena quantidade e demorando aproximadamente 15 a 20 dias para desaparecer com tratamento adequado
A secreção da conjuntivite bacteriana é mais amarelada e abundante. Demora de 5 a 7 dias para desaparecer com tratamento adequado.
O acompanhamento do oftalmologista é importante para o diagnóstico do tipo de conjuntivite e para o adequado tratamento.

TRATAMENTO
Não existe tratamento específico para conjuntivite viral. Para diminuir os sintomas e o desconforto pode-se utilizar soro fisiológico gelado e compressas sobre as pálpebras, limpar os olhos com freqüência, ou ainda, usar colírios lubrificantes e lágrimas artificiais.

Algumas medidas podem ser tomadas para se evitar a propagação da conjuntivite viral:
Lave suas mãos com frequência.
Não coloque as mãos nos olhos para evitar a recontaminação.
Evite coçar os olhos para diminuir a irritação da área.
Lave as mãos antes e depois do uso de colírios ou pomadas.
Ao usar, não encoste o frasco do colírios ou da pomada no olho.
Evite a exposição à agentes irritantes (fumaça) e/ou alégenos (pólen) que podem causar a conjuntivite.
Não use lentes de contato enquanto estiver com conjuntivite.
Não use lentes de contato se estiver usando colírios ou pomadas.
Não compartilhar lençóis, toalhas, travesseiros e outros objetos de uso pessoal de quem está com conjuntivite;
Evitar piscinas.

Na conjuntivite bacteriana deve-se além desses cuidados, usar colírios e antibióticos prescritos somente pelo oftalmologista.

Prevenção
É difícil prevenir-se das conjuntivites, mas algumas medidas podem diminuir o risco de adquirir uma conjuntivite, que são:
Não use maquiagem de outras pessoas (e nem empreste as suas).
Evite compartilhar toalhas de rosto.
Lave as mãos com frequência e não coloque-as nos olhos.
Use óculos de mergulho para nadar, ou óculos de proteção se você trabalha com produtos químicos
Não use medicamentos (pomadas, colírios) sem prescrição (ou que foram indicados para outra pessoa).
Evite nadar em piscinas sem cloro ou em lagos.

Para combater uma epidemia é importante que as pessoas com conjuntivite, bem como as que não apresentam a infecção, tenham algumas informações que são úteis para a sua proteção e para evitar o contágio.

A falta de cuidado pode fazer com que um aperto de mão possa se transformar em uma conjuntivite.

Glaucoma

Glaucoma

GLAUCOMA



Condição em que a pressão do líquido no interior do olho está aumentada (pressão intra-ocular), produzindo uma lesão do nervo óptico com diminuição da acuidade visual e cegueira.

O Glaucoma atinge cerca de 65 milhões de pessoas no planeta e é o motivo de 4,5 milhões de casos de perda total de visão, segundo a Associação Mundial do Glaucoma. No Brasil, existe aproximadamente um milhão de portadores da doença e estima-se que outras 900 mil pessoas possuam o problema, porém sem saber.

Causas, incidência e fatores de risco:
O glaucoma é uma das causas mais importantes de cegueira e existem quatro variedades principais:
• glaucoma de ângulo aberto ou crônico;
• glaucoma de ângulo fechado ou agudo;
• glaucoma congênito;
• glaucoma secundário.
O tipo mais comum é o glaucoma de ângulo aberto ou crônico.
Todos os quatro tipos se caracterizam por pressão aumentada dentro do globo ocular e, por essa razão, todos eles podem causar uma lesão progressiva do nervo óptico. A pressão aumenta, quando o líquido no interior do olho (humor aquoso), que é produzido continuamente, não é drenado adequadamente. A pressão comprime a retina na parte posterior do olho. Isso reduz o suprimento sangüíneo para os nervos da retina, produzindo sua morte. À medida que o nervo óptico se deteriora, desenvolvem-se manchas cegas e alterações visuais. A visão periférica (visão lateral) é afetada inicialmente e, em seguida, a doença afeta a visão central ou frontal. Sem tratamento, o glaucoma causará cegueira com o tempo.
O glaucoma agudo pode desenvolver-se com o envelhecimento, à medida que o cristalino aumenta de tamanho gradualmente; isso resulta no estreitamento do ângulo entre a íris e a córnea (ângulo da câmara anterior). Com o tempo, ocorre um bloqueio que fecha a via de saída do humor aquoso e existe um aumento súbito na pressão no interior do olho. Os sintomas apresentam um início rápido em idosos, especialmente em pessoas que apresentam hipermetropia. O fechamento do ângulo está associado com a dilatação pupilar e pode ser provocado pelo uso de colírios que dilatam as pupilas. Os ataques podem desenvolver-se sem sintomas de alerta e freqüentemente ocorrem à noite, quando a intensidade da luz é baixa e as pupilas estão dilatadas.
No glaucoma crônico, o ângulo de drenagem não está bloqueado pela íris, como no glaucoma agudo. A causa do bloqueio do fluxo de humor aquoso não foi elucidada. A doença afeta habitualmente ambos os olhos e, durante um período de meses, a pressão consistentemente elevada lesa lentamente o nervo óptico e a retina. O glaucoma crônico não produz sinais de alerta precoces e a perda associada da visão periférica ocorre tão gradualmente, que ela pode passar despercebida, até que tenha ocorrido uma lesão e perda visual substancial. O único modo de diagnosticar o glaucoma precocemente é pelo exame rotineiro dos olhos.
O glaucoma secundário é causado por outras doenças, como doenças oculares (uveíte), doenças sistêmicas, assim como pelo uso de alguns medicamentos (corticosteróides).
O glaucoma congênito, presente ao nascimento, resulta de um distúrbio do desenvolvimento das estruturas do olho. É necessária a cirurgia para a correção. O glaucoma congênito é hereditário.
Os fatores de risco dependem do tipo específico de glaucoma. Para o glaucoma crônico, os fatores de risco incluem a idade superior a 40 anos, história familiar de glaucoma, diabetes e miopia. A incidência é mais elevada e os sintomas se desenvolvem em pessoas com menos idade na população de ascendência africana. Estima-se que 1% a 2% das pessoas com mais de 40 anos têm glaucoma crônico e que aproximadamente 25% dos casos não são detectados.
Os fatores de risco para o glaucoma agudo são: idade mais avançada, hipermetropia, história familiar de glaucoma, estresse e uso de medicamentos anticolinérgicos sistêmicos, como a atropina ou colírio para dilatação das pupilas em uma pessoa de alto risco. Os glaucomas agudos, congênitos e secundários são muito menos freqüentes que o glaucoma crônico.

Sintomas:
AGUDOS
• dor ocular intensa, dor facial;
• perda da visão;
• visão embaçada, com halos ao redor das luzes;
• olho vermelho;
• pupila dilatada;
• náuseas e vômitos.
CRÔNICOS
• necessidade de mudar freqüentemente os óculos; os óculos não são satisfatórios;
• incapacidade de adaptar os olhos a ambientes escuros, como teatros;
• perda gradual da visão periférica;
• visão embaçada ou turva;
• dores de cabeça crônicas leves;
• percepção de halos ao redor das luzes com as cores do arco-íris.
Obs.: Com freqüência, a pessoa não apresenta sintomas.
CONGÊNITO
• lagrimejamento;
• sensibilidade à luz;
• olho vermelho;
• opacidade da córnea;
• córnea aumentada.

Tratamento:
INFORMAÇÕES GERAIS:
O objetivo do tratamento é reduzir a pressão intra-ocular. Dependendo do tipo de glaucoma, isso é obtido com medicamentos ou cirurgia.
MEDICAMENTOS:
O glaucoma é uma emergência médica que exige um tratamento imediato em um centro de atendimento de emergência ou orientado por um oftalmologista. A pressão intra-ocular habitualmente pode ser reduzida por medicamentos que podem ser administrados por via oral, intravenosa ou tópica (como os colírios).
Os bloqueadores beta-adrenérgicos na forma de colírios são eficazes no tratamento do glaucoma. O timolol e cloridrato de levobunolol são exemplos de colírios disponíveis. Além disso, colírios de epinefrina e pilocarpina são usados freqüentemente em combinação com outros medicamentos.
CIRURGIA:
Pode ser necessária uma cirurgia de emergência, chamada de iridotomia, para o tratamento do glaucoma agudo. Nessa cirurgia, é criado um orifício de drenagem na íris, para diminuir a pressão elevada. Essa técnica também pode ser empregada em uma cirurgia com laser, sem necessidade de fazer uma incisão no olho.
A iridotomia e outros tratamentos com laser podem ser feitos eletivamente após a resolução de um episódio agudo (para prevenir as recorrências) ou em pessoas com glaucoma crônico que não responde ao tratamento clínico.
O glaucoma congênito é tratado cirurgicamente, porque o tratamento clínico habitualmente não é muito eficaz.

Prognóstico:
O glaucoma agudo não-tratado resulta em uma perda de visão grave e permanente após o início dos sintomas. A visão pode ser preservada com o tratamento imediato.
O glaucoma crônico não-tratado pode progredir para a cegueira dentro de 20 a 25 anos. O diagnóstico precoce e o tratamento são muito bem sucedidos, no que se refere a preservar a visão.
O resultado no glaucoma congênito varia, dependendo da idade em que se iniciam os sintomas.
Complicações:
• diminuição da visão;
• cegueira.

Prevenção:
Na maioria dos casos, não existe prevenção para o desenvolvimento do glaucoma. Se detectado precocemente, podem ser evitadas a progressão da perda de visão e a cegueira.
O uso cuidadoso de colírios para dilatação da pupila e medicamentos anticolinérgicos sistêmicos pode impedir os episódios agudos em indivíduos de alto risco.
Todas as pessoas com mais de 35 anos devem ser submetidas a uma tonometria (medida da pressão intra-ocular) e exames oftalmoscópicos a cada dois anos. Está indicado o exame mais freqüente, quando existe uma história familiar de glaucoma.

Catarata


CATARATA



Nomes alternativos:

Opacidade do cristalino.

Definição:

Área turva no cristalino ocular.

Causas, incidência e fatores de risco:

O cristalino ocular é normalmente transparente. Quando se torna turvo ou opaco é chamado de catarata. As cataratas podem estar presentes no nascimento ou logo depois. Neste caso, são chamadas de cataratas congênitas. A catarata no adulto se desenvolve com a idade avançada, tende a ser familiar e o aparecimento pode ser acelerado por fatores ambientais. A catarata pode se desenvolver a qualquer momento da vida após uma lesão ocular na qual a cápsula do cristalino tenha sido danificada. A catarata também pode aparecer como resultado de distúrbios metabólicos, como o diabetes.
As cataratas congênitas são cataratas que estão presentes desde o nascimento (ou que aparecem logo após). Podem ser familiares (herança autossômica dominante) ou podem ser causadas por infecções congênitas, como a rubéola, ou associadas a distúrbios metabólicos, como a galactosemia. Os fatores de risco incluem distúrbios metabólicos hereditários, antecedentes familiares de catarata e infecção viral materna.
A catarata nos adultos está geralmente associada ao envelhecimento. Seu desenvolvimento é lento e indolor, com perda da visão gradual. Os problemas visuais podem ser precedidos por dificuldades para enxergar à noite, halos ao redor das luzes ou clarão ao olhar para luzes e, finalmente, por diminuição da acuidade visual mesmo à luz do dia.
As cataratas nos adultos são classificadas como imaturas, maduras e hipermaduras. O cristalino que ainda mantém áreas transparentes é chamado de catarata imatura. Uma catarata madura é completamente opaca; uma catarata hipermadura tem uma superfície líquida que vaza pela cápsula e pode causar inflamação.
A maioria das pessoas desenvolve certa turvação do cristalino após os 60 anos. Cerca de 50% dos americanos entre 65 e 74 anos têm catarata e cerca de 70% das pessoas acima de 75 anos são portadoras da doença. A maioria das pessoas possui catarata em ambos os olhos, embora um olho possa ser pior que o outro. Muitas pessoas com catarata nem mesmo sabem que são portadoras da condição.
Outros fatores que podem contribuir para o desenvolvimento de catarata são baixos níveis de cálcio sérico, o diabetes, o uso prolongado de corticosteróides e outros distúrbios inflamatórios e metabólicos. Outras causas incluem trauma, exposição à radiação e exposição excessiva à luz ultravioleta (luz solar). Em muitos casos, a causa das cataratas é desconhecida.

Sintomas:
• visão turva, vaga, nebulosa ou enevoada;
• alterações na maneira de enxergar as cores;
• alterações frequentes na receita dos óculos;
• visão deficiente à noite, especialmente enquanto dirigindo, causada pelos efeitos das luzes brilhantes;
• problemas com brilho de lâmpadas ou do sol;
• halos ao redor das luzes;
• visão dupla;
• mancha branca ou turva no cristalino ocular (as pupilas têm aparência leitosa ou branca, e não pretas).

Tratamento:
INFORMAÇÕES GERAIS:
O tratamento é realizado apenas para melhorar a visão. Para algumas pessoas, alterar os óculos, adquirir lentes mais fortes ou utilizar uma lente de aumento já é o suficiente. Outras pessoas optam por se submeter a uma cirurgia de catarata.
Se a catarata não estiver incomodando, o tratamento geralmente não é necessário. Algumas vezes, pode ocorrer um problema ocular adicional que necessite de acompanhamento ou tratamento, e a catarata prejudica a visão do médico. Nestes casos, a cirurgia de catarata pode ser necessária para permitir que o outro problema ocular tenha um tratamento adequado.
CIRURGIA:
A cirurgia de catarata consiste na remoção do cristalino ocular, substituindo-o por um artificial. O médico discutirá com o paciente as opções e juntos decidirão o tipo de remoção e prótese mais adequado.
REMOÇÃO DO CRISTALINO:
Há três tipos diferentes de cirurgia que podem ser utilizados para remover o cristalino com catarata.
A cirurgia extracapsular consiste na remoção cirúrgica do cristalino, mas deixando-se a parte posterior da cápsula (o revestimento externo do cristalino) intacta.
A facoemulsificação é realizada por meio do amolecimento do cristalino com ondas sonoras e posterior remoção com uma agulha. A metade posterior da cápsula do cristalino é preservada.
A cirurgia intracapsular envolve a remoção cirúrgica de todo o cristalino, inclusive a cápsula. Isto é feito muito raramente.
SUBSTITUIÇÃO DO CRISTALINO:
As pessoas que se submetem à cirurgia de catarata geralmente recebem um cristalino artificial. O cristalino artificial é um disco plástico chamado de cristalino intra-ocular, e é colocado na cápsula do cristalino dentro do olho.
Outras opções incluem lentes de contato e óculos para catarata. O paciente e o médico decidirão qual a melhor opção.
A cirurgia pode ser realizada em um ambulatório ou hospital, e o médico decidirá quando o paciente pode sair. A maioria das pessoas não passa a noite no hospital. Será necessária a presença de um acompanhante para levar o paciente para casa e alguém para passar um ou dois dias com ele em casa, para ajudá-lo a seguir as orientações médicas.
Pode levar alguns meses para que o olho se recupere totalmente, portanto o médico deve verificar o progresso periodicamente e certificar-se de que o paciente tenha todos os cuidados necessários até a completa recuperação do olho.
Expectativas (prognóstico):
Para a maioria das pessoas, a cirurgia de catarata está associada a um risco relativamente baixo. Devido ao implante da lente artificial, algumas pessoas não precisam continuar a utilizar lentes corretivas para enxergar à distância, mas elas geralmente são necessárias para leitura ou para enxergar de perto.
Complicações:
A visão pode não melhorar após a cirurgia de catarata se outras doenças oculares, como a degeneração macular, estiverem presentes. Infelizmente, nem sempre é possível avaliar tais doenças antes da cirurgia.
Nas crianças, ambliopia e desenvolvimento visual deficiente podem ocorrer como resultado da catarata. O diagnóstico e tratamento precoces são essenciais.

Prevenção:
A principal medida de prevenção consiste em controlar as doenças associadas e evitar a exposição aos fatores conhecidos por promover a formação de catarata.
O uso de óculos escuros quanto estiver ao ar livre durante o dia pode reduzir a exposição dos olhos aos raios UV. Alguns óculos escuros não filtram os raios UV prejudiciais. O oculista ou vendedor da ótica deve ser capaz de lhe informar quais óculos filtram os raios UV com maior eficiência. Não compre óculos em barracas, camelôs ou lojas sem profissionais especializados para prestar o atendimento necessário e com informações corretas.

sexta-feira, 19 de junho de 2009

PRESBIOPIA



É como chama-se a diminuição da capacidade do olho de focalizar de perto em função da idade. Deve-se à perda da elasticidade progressiva do cristalino.

Se inicia, na maioria das pessoas, a partir dos 40 anos de idade. Os sintomas iniciais são de cansaço e cefaléia e as pessoas procuram afastar os objetos para ver melhor.

Com o passar do tempo a falta de visão para a leitura fica patente. Nessa fase, conforme cada caso, se prescreverá um óculos só para a leitura ou um óculos que tenha foco para leitura e para a distância (bifocal ou multifocal). Com o passar da idade essa dificuldade aumenta sendo necessária a mudança de grau com mais freqüência (cada ano e meio em média).

Essas visitas mais freqüentes ao oftalmologista são de grande utilidade para a prevenção de doenças importantes como glaucoma e retinopatias, que acontecem principalmente após os quarenta anos de idade. A dificuldade de ver funciona como lembrete do exame oftalmológico auxiliando no diagnóstico precoce dessas doenças.

A alternativa ao uso de óculos, para a presbiopia, é o uso de lentes de contato multifocais ou bifocais. Ainda não existe nenhuma cirurgia para corrigir a presbiopia (houveram técnicas experimentais, mas não deram os resultados esperados).

HIPERMETROPIA

HIPERMETROPIA



A hipermetropia ocorre quando o olho é um pouco menor do que o normal, provocando uma focalização errada da imagem, que se forma após a retina. Ela também pode ser causada pela diminuição do poder refrativo do olho, causada por alterações no formato na córnea ou no cristalino.

Geralmente o paciente com hipermetropia tem boa visão de longe, pois se seu grau não for muito elevado é naturalmente corrigido pelo aumento do poder dióptrico do cristalino, em um processo chamado de acomodação.

A maior parte das crianças apresenta hipermetropia, porque seus olhos normalmente são menores do que deveriam ser, porém elas têm um maior poder de acomodação e suportam graus muito mais elevados. São comuns casos de pessoas que necessitam de óculos na infância, mas deixam de usá-los na idade adulta, quando o olho atinge o tamanho ideal.

A hipermetropia também pode estar associada ao aparecimento de estrabismo acomodativo na infância, com o surgimento de sintomas ao redor dos 2 anos de idade. Neste caso a correção total do problema pode ser feita com o uso de lentes de óculos adequadas.

A história familiar também é um fator de risco.

SINTOMAS:

- desconforto para focalizar imagens próximas;
- visão embaçada;
- cansaço;
- dores nos olhos;
- dores de cabeça.

TRATAMENTO:

O tratamento para a hipermetropia é feito através do uso de lentes convergentes ou convexas, que têm a função de direcionar a luz para a retina, onde a imagem deve se formar.

O principal procedimento para a correção do problema é a cirurgia refrativa, realizada com Excimer Laser ou Lasik, geralmente aplicada depois dos 21 anos com bom prognóstico.

COMPLICAÇÕES:

A hipermetropia é um fator de risco para o glaucoma crônico.

PREVENÇÃO:

Não há prevenção conhecida para a hipermetropia. A atenção aos riscos (tais como história familiar) permite um diagnóstico e a intervenção precoces.

sexta-feira, 12 de junho de 2009

Miopia

Miopia

MIOPIA



Definição:

Imperfeição do foco visual que causa dificuldade em ver objetos distantes.

Causas, incidência e fatores de risco:
Com este distúrbio, objetos próximos são vistos claramente, enquanto objetos distantes são vistos de forma embaçada. Isto ocorre porque a imagem visual é focalizada na frente da retina em vez de ser focalizada diretamente nela. É causada pelo fato de o globo ocular ser muito comprido ou porque a potência do cristalino é alta demais. A miopia se desenvolve em crianças em idade escolar até os 20 anos e após este período geralmente se estabiliza. Até este período, o problema pode se desenvolver rapidamente e exigir trocas frequentes de óculos ou lentes de contato. Afeta homens e mulheres na mesma proporção e antecedentes de miopia na família são um fator de risco.

Sintomas:• visão embaçada de objetos distantes
• Semicerrar os olhos para ver melhor
• Vista cansada
• Dores de cabeça

Sinais e exames:
Um exame geral do olho ou exame oftalmológico padrão pode incluir:
• acuidade visual
• exame de refração
• daltonismo
• exames de integridade do músculo
• exame com lâmpada de fenda
• exame da retina

Tratamento:
A miopia é facilmente compensada pelo uso de óculos ou lentes de contato. A ceratotomia radial é um procedimento cirúrgico que pode melhorar ou corrigir a miopia em algumas pessoas.

Fotorefrativos
São tratamentos de córnea feitos com a aplicação de luz laser ultravioleta (Excimer Laser), que tem a propriedade de evaporar pequenas quantidades de tecido da córnea, corrigindo miopia, hipermetropia, astigmatismo, sozinhos ou associados. Têm sido utilizados desde 1987 com este propósito.
Sob anestesia local (colírio anestésico), o laser é aplicado confortavelmente direto sobre a córnea (PRK) ou no interior deste tecido, após uma microincisão (LASIK), para graus muito altos. O tempo médio de aplicação é de 20 segundos. Neste tempo, o laser remove, dependendo do grau a ser corrigido, de 20 a 100 micra (um centésimo de um milímetro) de tecido corneano.
Apresenta mais precisão de resultados quando comparado com o processo tradicional de realizar cortes na córnea (ceratomia radial). Os resultados obtidos são mais estáveis em longo prazo.
PÓS OPERATÓRIO
No dia seguinte retira-se o curativo e inicia-se o uso de alguns colírios. Haverá necessidade de alguma restrição a esforços físicos por algum tempo. Em poucos dias a visão já se torna útil e se retorna às atividades normais. Muito provavelmente haverá necessidade do uso de óculos para leitura de perto.
Dependendo do tipo de aplicação (LASIK ou PRK) e da atividade do paciente, entre dois e cinco dias ele já está liberado para voltar às atividades diárias, sem curativo.
Paciente deverá utilizar um ou dois tipos de colírios por alguns dias (LASIK) ou semanas (PRK);
Evitar banhos de mar e esportes por alguns dias (LASIK) ou algumas semanas (PRK);
Deverá evitar esfregar os olhos e o excesso de luz solar;
Caso tenha dor, usará os analgésicos prescritos.
RESULTADOS
Com essa aplicação de laser 98% das pessoas que fazem o tratamento ficam livres do uso de óculos. Os 2% restantes ficam parcialmente dependentes, porém com graus menores. Não há precisão matemática como em qualquer procedimento biológico.
Reintervenção
Para que se chegue aos resultados mencionados acima, cerca de 2% dos pacientes necessitam de reintervenções (aplicação de laser ou ceratomia). Estas são realizadas alguns meses após a primeira e normalmente a custos reduzidos para o paciente.
Complicações:
Podem ocorrer 3 principais complicações:
Hiper e Hipo Correções: Responsáveis pelos 2% de pacientes que não conseguimos livrar dos óculos totalmente.
Cicatrização anômala: Neste caso, uma fina camada de tecido cicatrizanticial (gaze) deposita-se na córnea impedindo parcialmente uma boa cicatrização. Normalmente desaparece espontaneamente. Em raros casos, precisa ser removido (com laser).
Infecção: Raríssima , pois a própria luz ultravioleta é esterilizante.

Astigmatismo

Astigmatismo

ASTIGMATISMO

Definição:

Condição na qual a córnea do olho está assimetricamente curvada, causando distorção visual.

O astigmatismo se caracteriza pela formação da imagem em vários focos, em eixos diferenciados. Uma córnea normal é redonda e lisa, no caso de quem tem astigmatismo, ela é mais ovalada, isto faz com que a luz se refrate por vários pontos da retina em vez de se focar em apenas um.

Para as pessoas com este problema, todos os objetos – tanto próximos como distantes – ficam distorcidos. As imagens ficam embaçadas porque alguns dos raios de luz são focalizados e outros não. A sensação é parecida com a distorção produzida por um pedaço de vidro ondulado.

Tipos de astigmatismo:

Baseados na estrutura assimétrica:
Astigmatismo corneal – córnea de formato irregular;
Astigmatismo lenticular – lentes de formato irregular.
Baseados nos meridianos principais:
Astigmatismo regular;
Astigmatismo irregular.

Baseados no foco dos meridianos principais:
Astigmatismo simples;
Astigmatismo hipermétrope simples;
Astigmatismo miópico simples;
Astigmatismo composto;
Astigmatismo hipermétrope composto;
Astigmatismo miópico composto;
Astigmatismo misto.


Causas:

O astigmatismo é causado pelo formado irregular da córnea ou do cristalino. Ele é hereditário e pode ocorrer em conjunto com a miopia ou a hipermetropia.

Um astigmatismo ligeiro pode desenvolver-se ao longo dos anos, devido à alteração da curvatura da córnea, provocada pelas milhares de piscadas diárias, isto é considerado normal e não requer correção.


Sintomas:

• dificuldade inconsistente para focalizar vários objetos, como palavras e linhas impressas.

Sinais e exames:

• exame oftalmológico padrão com um exame de refração.

Tratamento:

Óculos ou lentes de contato especialmente projetados para neutralizar a desigualdade da córnea tratam este defeito visual.
Em casos mais graves, pode-se recorrer à cirurgia a laser ou a um procedimento conhecido como ceratotomia astigmática.

Anatomia do olho

domingo, 7 de junho de 2009

Coluna normal e desvios


Coluna normal - cifose e lordose fisiológica.

Desvios da coluna - escoliose e aumento da cifose.

CIFOSE



Nomes alternativos:
Corcunda, doença de Scheuermann.

Definição:
Curvatura da coluna vertebral, promovendo o arqueamento das costas, normalmente na região superior.

Causas, incidência e fatores de risco:
A cifose é o resultado de uma doença ou problema congênito. Pode ocorrer em crianças, adolescentes ou adultos. É rara a ocorrência de cifose em recém-nascidos. A cifose do adolescente, também conhecida como doença de Scheuermann, pode ocorrer em virtude do crescimento retardado ou de um distúrbio vertebral durante períodos de crescimento rápido. Outras causas da cifose são: infecção, inflamação, degeneração de disco, osteoporose das vértebras, doenças endócrinas, artrite, doença de Paget, poliomielite, fraturas por compressão das vértebras, câncer, tuberculose ou postura incorreta. Os fatores de risco estão associados às causas.

Sintomas:
• dor nas costas leve;
• fadiga;
• sensibilidade e rigidez da coluna vertebral;
• costas arqueadas.

Sinais e exames:
O exame físico confirma a curvatura da coluna.
Podem ser tirados raios X da coluna vertebral.

Tratamento:
O tratamento depende da causa do distúrbio. No caso da cifose resultante de postura incorreta, o tratamento é realizado com fisioterapia por meio de exercícios e pelo uso de colchões firmes e de coletes ortopédicos para as costas, com a finalidade de endireitar a curvatura até que o crescimento se complete. Recomenda-se repouso em casos de dores muito fortes. A remoção gradual do colete ortopédico é feita após a correção máxima da curvatura das costas.

Expectativas (prognóstico):
O prognóstico da cifose é melhor em pessoas mais jovens. Se as alterações ósseas ocorrerem em virtude de uma doença articular degenerativa, a probabilidade de haver correção do defeito é baixa.

Complicações:
• dor nas costas, podendo provocar invalidez;
• sintomatologia neurológica;
• redução da capacidade pulmonar.

Prevenção:
A postura correta previne a cifose provocada por uma postura inadequada. Exames físicos periódicos durante a infância, principalmente durante a fase de crescimento, auxiliam no diagnóstico precoce, no tratamento e na prevenção da progressão da doença e de complicações.

Escoliose antes e depois cirurgia


Raio X Perfil PO

Raio X PO

Raio X Escoliose

Fotos Antes e Depois da Cirurgia - Escoliose


sábado, 6 de junho de 2009

Escoliose

Figura Escoliose

ESCOLIOSE



Definição:

Curvatura lateral (que pende do centro para um dos lados) da coluna vertebral que pode ocorrer no segmento torácico ou lombar.

Causas, incidência e fatores de risco:

A escoliose pode ocorrer de maneira isolada ou em combinação com cifose (nesse caso, a condição é então chamada cifoescoliose).
A escoliose pose ocorrer de três maneiras: como uma condição congênita que se observa no nascimento e que geralmente está relacionada a um defeito nas vértebras ou nas costelas, como um distúrbio paralítico ou musculoesquelético causado por uma paralisia muscular devida a pólio, paralisia cerebral ou distrofia muscular ou como uma condição idiopática (de causa desconhecida) que aparece em uma coluna anteriormente reta.
O distúrbio idiopático é a manifestação mais comum e pode ter uma causa genética. A maioria dos casos ocorre em meninas e se torna aparente durante a fase de crescimento rápido da puberdade (há formas infantis e juvenis). Pode-se suspeitar de escoliose quando um ombro parecer mais alto do que o outro, embora os pais e amigos possam não notar nada. Atualmente, realiza-se nas escolas de educação infantil e de ensino fundamental uma triagem de rotina para escoliose; muitos casos que teriam passado despercebidos até que se tornassem mais graves são detectados precocemente.
Pode haver fadiga na coluna vertebral após ficar em pé ou sentado por muito tempo. A dor persistirá se ocorrer irritação dos ligamentos. À medida que a coluna vertebral se dobra lateralmente, pode se desenvolver uma curva compensatória para manter o equilíbrio. Quanto maior for a curva inicial da coluna, maiores as chances de progressão da condição após o término da etapa de crescimento. A escoliose grave (curvas maiores que 60 graus) pode causar problemas respiratórios.

Sintomas:

• curvatura anormal da coluna vertebral para o lado (lateral);
• ombros e quadris com aparência desalinhada;
• curva compensatória;
• dor nas costas ou dor na região lombar;
• fadiga;
• falta de ar;
• fraqueza muscular (redução da força muscular, independente de exercício) nas costas.

Obs.: A cifoescoliose também envolve uma curvatura anormal para a frente com aparência de "costas redondas - corcunda".

Sinais e exames:

No exame físico, a curvatura geralmente é mais pronunciada quando se inclina para frente.

Os exames incluem:
• raios X da coluna vertebral em várias posições
• medições com um escoliômetro (um dispositivo para medir a curvatura da coluna).

Tratamento:

O tratamento é determinado pela extensão da deformação e pelo estágio de crescimento ósseo (o quão próximos do fechamento estão os centros de crescimento). Muitas curvas escolióticas não necessitam de tratamento (menos de 30 graus), mas devem ser acompanhadas a cada seis meses. As alternativas incluem observação, exercícios, colete para as costas ou uma combinação destas. O tratamento precoce obtém melhores resultados.
A fisioterapia com exercícios para fortalecer os músculos do tronco pode evitar a progressão da curvatura em casos leves (curvatura menor que 30 graus).
O colete de Milwaukee ou outros tipos de coletes são eficazes no controle da progressão da escoliose, mas devem ser utilizados por longos períodos de tempo. Um colete para as costas não reverte a curvatura. A coluna vertebral é endireitada por meio da pressão assimétrica exercida pelo colete, que pode ser ajustado com o crescimento. O colete geralmente é utilizado até que o crescimento ósseo tenha cessado no final da adolescência. Curvaturas de 30 a 50 graus podem ser tratadas com colete e exercícios.
Uma curvatura de 40 graus ou mais em geral necessita de cirurgia corretiva, uma vez que uma curvatura desse grau progride mesmo após o término do crescimento ósseo. Os procedimentos cirúrgicos incluem colocação de um pino metálico (pino de Harrington) que evita a progressão da curvatura mas restringe a mobilidade da coluna vertebral. Pode ser necessário o uso de um colete após a cirurgia para estabilizar a coluna.
As limitações impostas pelos tratamentos geralmente ocasionam problemas emocionais e podem ameaçar a auto-imagem, especialmente em adolescentes. O apoio emocional é importante para a adaptação às limitações do tratamento. Os fisioterapeutas e ortopedistas (especialistas em aparelhos ortopédicos) podem ser úteis para explicar o tratamento e assegurar o ajuste confortável do colete para aumentar a colaboração do paciente com o plano de tratamento.

Grupos de apoio:
O estresse causado pela doença geralmente pode ser aliviado por meio da participação em um grupo de apoio, onde os membros compartilham experiências e problemas em comum.

Expectativas (prognóstico):

Os resultados dependem da localização e da gravidade da curvatura. Quanto maior a curvatura, maior a chance de progressão após o término do crescimento. A escoliose não tratada pode causar problemas cardíacos e pulmonares devido à redução da capacidade pulmonar, dor nas costas, deformação física, artrite degenerativa da coluna e ciática.

Complicações:

Problemas emocionais ou baixa auto-estima podem ocorrer como resultado da condição ou seu tratamento.

Doença de Osgood-Schlatter

Nomes alternativos:

Osteocondrose

Definição:

Inflamação dolorosa do tubérculo tibial anterior (protuberância na parte frontal da tíbia).

Causas, incidência e fatores de risco:

É provável que esta doença seja causada por microtraumas (pequenas lesões, geralmente imperceptíveis, produzidas por excessiva tração) ocorridos antes do pleno amadurecimento da inserção do tubérculo tibial anterior.
O distúrbio tem como característica um inchaço doloroso logo abaixo do joelho, na face anterior do osso da perna (tíbia). Essa área é sensível à pressão e o inchaço varia de leve a muito intenso. Atividades como correr, saltar e subir escadas, causam desconforto a uma ou ambas as pernas. O distúrbio ocorre com mais freqüência entre os adolescentes ativos e que praticam esportes, afetando mais os do sexo masculino.

Sintomas:

• dor na perna ou dor no joelho;
o em um ou em ambos os joelhos;
o piora com atividade, principalmente ao correr, saltar ou subir escadas;
o piora ao aplicar pressão sobre a área;
• sensibilidade abaixo do joelho que piora ao aplicar pressão;
• inchaço na protuberância da parte frontal da perna, logo abaixo da patela; (tuberosidade anterior da tíbia).

Sinais e exames:

O exame físico permitirá confirmar o diagnóstico.
O raio X do osso pode ser normal ou pode mostrar inchaço do tecido mole, espessamento do ligamento e possivelmente fragmentos ósseos próximos à tuberosidade anterior.

Tratamento:

O tratamento inicial compreende repouso, aplicação de gelo e medicamentos antiinflamatórios não esteróides (AINES). Em geral, a condição desaparece com o repouso, medicamentos para a dor, fisioterapia e com a redução das atividades esportivas ou exercícios.
Nos poucos casos em que os sintomas não melhoram, a perna afetada dever ser imobilizada com gesso ou aparelhos ortopédicos, até a cura, que acontece em 6 a 8 semanas. Pode-se usar muletas para caminhar, a fim de evitar peso na perna afetada.
Raramente a cirurgia é um procedimento necessário se o tratamento conservador falhar.

Expectativas (prognóstico):

A maior parte dos casos melhora espontaneamente em semanas ou meses. Os adolescentes devem participar de atividades esportivas até o limite de sua capacidade, evitando excessos que podem trazer mal-estar. Entretanto, a suspensão da atividade resolve o distúrbio.

Complicações:

A complicação mais importante é a dor crônica.

Prevenção:

As pequenas lesões que podem causar este distúrbio são normalmente imperceptíveis, tornando a prevenção impossível. Evitar os excessos (por exemplo, correr em excesso em treinamento para uma maratona) pode ajudar.