segunda-feira, 30 de julho de 2012

Mensagem - Programa Nacional para Pessoas Idosas



“Que ao Envelhecer permaneça belo...Há tantas
coisas boas para fazer. O ouro, as rendas, o marfim e
as sedas não precisam ser novos. E as velhas
árvores também curam, as velhas ruas também têm
encanto. Então, por que não poderei eu, como elas,
permanecer belo ao envelhecer?" (Programa Nacional para Pessoas Idosas 2004)


Extraído da Revista Transdisciplinar de Gerontologia - Universidade Sénior Contemporânea - pag 62 Artigo: Reflexões: Aprender na 3ª idade: uma mudança de paradigma.
www.rtgerontologia.webnode.pt

Terceira idade já é 7% dos internautas brasileiros


Usuários com mais de 60 anos costumam passar mais tempo com serviços online como notícias, transações bancárias, e-commerce e pesquisa sobre viagens

Rio de Janeiro - São grandes usuários de serviços online e passam, em média, quatro horas e 11 minutos conectados ao mundo virtual aos fins de semana. Pode não parecer, mas estas características representam os hábitos dos internautas da terceira idade no Brasil. Em comparação à quantidade de horas na internet, segundo o QualiBest, estes internautas navegam apenas 40 minutos menos que os jovens e o número de homens conectados é 30% maior do que o de mulheres.

Em 2009, o público sênior representava apenas 5% dos acessos à internet, mas, no fim de 2011, o índide chegou a 7%, segundo dados da comScore Brasil. A inclusão digital dos idosos, no entanto, está ainda restrita à classe AB. O maior nível de escolaridade tem sido o principal fator para a penetração das redes digitais nas casas dos consumidores seniores, segundo a última edição do estudo “O Painel Brasil Data Sênior”, feito pelo Somatório Pesquisa, em 2011. Apesar de 34% das pessoas da terceira idade terem computador com acesso à internet em casa, apenas 16% estão inseridos no universo da informática.

“O índice de inclusão é maior em domicílios em que os idosos moram com os netos ou filhos que usam o computador, assim eles começam a perceber as possibilidades da rede. Já nos ambientes em que vive apenas um casal nessa faixa etária, o acesso à internet é baixo e eles suprem de outra forma a necessidade de informação e comunicação”, conta Luciana Guerra, diretora de marketing do Somatório Pesquisa da Brasil Data Sênior.

Perfil dos internautas após os 60 anos

Os homens são mais ativos do que as mulheres no meio digital neste período da vida.

Segundo a pesquisa do QualiBest, o sexo masculino representa 65% dos usuários acima de 60 anos, apesar delas serem maioria no país. No total, o número de idosos no Brasil corresponde a 57% de mulheres e 43% de homens. Elas, por sua vez, são as que mais utilizam as ferramentas de bate-papo, como Skype e MSN, e redes sociais.

“Os meninos, desde jovens, têm uma maior facilidade e proximidade com a tecnologia e isto não muda ao longo do tempo. Se compararmos um homem e uma mulher de 70 anos, a tecnologia para o sexo masculino tem o mesmo sentido que para os mais jovens, já para as mulheres não. Este é um mito que está sendo derrubado entre os mais novos, mas na terceira idade ainda aparece”, afirma Luzia Nicolino, diretora de marketing & inovação do QualiBest.

Binge drinking increases risk of cognitive decline


Moderate drinking and binge drinking among older people increase the risk for cognitive decline and memory loss, according to two studies presented today at the Alzheimer's Association International Conference 2012 in Vancouver, Canada.

Adults ages 65 and older who reported binge drinking at least twice a month were 2½ times more likely to suffer cognitive and memory declines than similar-aged adults who don't binge-drink. In this study, binge drinking is defined as four or more drinks on one occasion.

"It's not just how much you drink but the pattern of your drinking," says lead author Iain Lang of the University of Exeter in England. "Older people need to be aware, if they do binge-drink, of the risks and they should change their behaviors."

Binge drinking appears to be a big problem in the USA. The findings follow a study in January by the Centers for Disease Control and Prevention reporting that one in six adults in the USA are binge drinkers and those in the 65-plus age group binge-drink more often than any other age group. In that survey, binge drinking is defined as men having five or more drinks within a short period of time and women having four or more drinks.

Those most likely to binge-drink have incomes of more than $75,000 a year, according to the CDC.
The CDC recommends moderation, if you do drink. It describes moderate drinking as no more than one drink a day for women and no more than two drinks for day for men.

Lang's eight-year study on binge drinking followed 5,075 U.S. adults ages 65 and older and assessed cognitive function and memory in a telephone survey. Among the findings: 4.3% of men and 0.5% of women reported drinking heavily twice a month or more; another 8.3 % of men and 1.5% of women reported doing so once a month or more.

Earlier studies have noted drinking alcohol in moderation, especially red wine, might decrease the risk of cardiovascular disease, dementia and premature death.

"The many dangers of misuse of alcohol, and some of the possible benefits, have been widely reported, and there needs to be clarification by the scientific community," says Bill Thies, chief scientific and medical officer for the Alzheimer's Association. "Certainly no one should start drinking in order to reduce Alzheimer's risk."
In another study reported at the conference, researchers found moderate alcohol consumption had no protective properties in the mental functions of older women. The study followed 1,306 women ages 65 and older for 20 years. Among the highlights:

•Women who changed from not drinking to drinking over the course of the study had a 200% increased risk of cognitive impairment compared with non-drinkers.

•Women who reported drinking more in the past than at the beginning of the study were at a 30% increased risk of developing cognitive impairment compared with non-drinkers.

•Moderate drinkers in the late phrase of the study were roughly 60% more likely to develop cognitive impairment compared with nondrinkers.

"Alcohol use in late life many not be beneficial in older women," says lead author Tina Hoang of The Veterans Health Research Institute in San Francisco. "It may be that the brains of older individuals are more vulnerable to the effects of alcohol."



http://www.usatoday.com/news/health/story/2012-07-18/alzheimers-binge-drinking/56310294/1

Vistos com desconfiança, jogos eletrônicos podem queimar até 500 calorias


Para muitos ter de sair de casa para ir para academia é um martírio. Já imaginou se divertir dentro de casa e, de quebra, queimar calorias? Essa é a proposta tentadora dos jogos eletrônicos. Ainda que sejam vendidos com games que ajudam na queima calórica, o Xbox e o Wii ainda são vistos com desconfiança por quem está em busca de uma nova atividade física. No entanto, segundo a professora da Bio Ritmo e personal trainer, Mariane Herdy, eles são sim eficazes para emagrecer e podem queimar até 500 calorias.

Mas como na prática de qualquer atividade física alguns cuidados se tornam necessários. Para Fernando Vanderlinde, fisioterapeuta, fundador do site GameSaude e autor do livro "VideoGames na Saúde e Reabilitação", quem deseja levar os jogos a sério deve consultar um profissional para avaliar a saúde, assim como faria se estivesse iniciando qualquer outra modalidade. "Claro que quem brinca com esses jogos de vez em quando não precisa de uma avaliação, mas quem pretende fazer atividades com eles duas vezes por semana ou todos os dias é importante", avalia.

A vestimenta adequada também deve ser usada, mesmo estando dentro de casa. "É preciso estar com uma roupa confortável e um bom tênis. Nunca se deve praticar as atividades de salto alto ou descalço para evitar impactos nas articulações", recomenda Vanderlinde. Herdy também indica deixar sempre uma garrafa d'água à disposição para se hidratar durante os exercícios.


Ainda que os jogos sejam, em sua grande maioria, muito divertidos fazendo com que a pessoa que está praticando até esqueça da atividade, Herdy determina um tempo-limite para praticar os games. "O ideal é não ultrapassar uma hora, pois as pessoas costumam passar a tarde inteira jogando e no final ficam com lesões musculares por não respeitarem os limites do corpo", adverte.
A postura também não deve ser esquecida por quem optou pelos games. "Esses jogos não tem capacidade de mensurar fadiga e não são todos que captam se a postura de quem está jogando está correta", afirma Vanderlinde que recomenda sempre que possível praticar a atividade ao lado de um profissional qualificado.
Que as atividades propostas nos jogos eletrônicos queimam calorias é inegável, no entanto, para Vanderlinde, a perda calórica depende muito da seriedade e frequência dos exercícios. "Tem alguns games que propõe atividades e desafios por 30 dias e para ter um bom resultado é necessário seguir essa rotina à risca", explica.
Games X Academias
Se você já está pensando em cancelar a matrícula e comprar os jogos é necessário avaliar muito antes de trocar o treino pelos games. "A academia conta com aparelhos e profissionais que são treinados para auxiliar, corrigir a postura, enquanto os games não proporcionam esse ambiente", alerta Vanderlinde.
Mas atividade lúdica pode ser usada para complementar o treino da musculação e ajudar a entrar em forma. "Muitos desses jogos são aeróbicos e muito divertidos, como os de dança. E quando a pessoa já tem um acompanhemnto profissional ele pode até indicar os melhores games para o que ele deseja melhorar", exemplifica.
Teste
Herdy veio a convite do UOL Dieta e Boa Forma testar alguns dos jogos que são comercializados para estes videos games. A personal trainer avaliou a queima calórica, a habilidade motora, batimentos cardíacos e a diversão que esses jogos proporcionam para quem quer tornar deles um hábito saudável.
Xbox
Para este videogame a personal trainer avaliou dois jogos o "Just Dance 3" e o "Your Shape Fitness Evolved". No primeiro jogo os participantes devem seguir os movimentos para dançar cada tipo de música e segundo contém exercícios para grupos musculares específicos e outras atividades variadas que vão de dança indiana ao boxe.
Considerado um dos jogos mais divertidos pela personal, o "Just Dance 3" foi avaliado como um jogo difícil para quem é mais sedentário, mesmo ao optar pelo nível de iniciante. "Os movimentos são rápidos e exige um pouco mais de resistência do coração e coordenação motora", justifica Herdy. Já no quesito queima calória, a atividade aeróbica pode eliminar de 300 a 400 calorias por 30 minutos de jogo.
Já no "Your Shape Fitness Evolved", Mary testou o Bodycamp, uma espécie de circuito que envolve exercícios de flexão, saltos, abdominais e exercícios funcionais. Para a personal o jogo é muito interessante, mas não é indicado a iniciantes. "Ele não exige tanta coordenação, mas sim tônus muscular, além de oferecer uma resistência cardiovascular maior e força motora também", explica. A queima calórica pode atingir até 500 calorias.
Nos exercícios para partes específicas do corpo, que também são encontrados neste game, a queima calórica verificada é menor e o máximo pode chegar até 300 calorias. Herdy fez exercícios para perna e abdominais, mas também não os indica para quem está iniciando por exigir muita força muscular.
Wii Fit
Na opinião de Mary, os jogos do Wii Fit são mais fáceis para quem está iniciando a prática de alguma atividade física. "Eles não exigem muita coordenação motora, a resistência é mais tranquila e a pessoa não sai muito cansada depois de jogar", conta. A personal trainer avaliou o programa de corrida, boxe e o bambolê.
A corrida foi considerada fácil e indicada para pessoas de qualquer idade. A média de queima calórica varia de 300 a 400 calorias jogando por 30 minutos. Já o boxe é um pouco mais complicado, pois exige coordenação entre os braços e pernas. A queima calórica também é mantida entre 300 e 400 calorias ao jogar por 30 minutos.
Para Herdy, o bambolê foi o jogo mais divertido disponível no videogame. "É um jogo bem fácil e que não exige muita resistência ou coordenação motora", afirma ela, que avalia que a queima calórica do jogo não ultrapassa 300 calorias se praticado por 30 minutos.




Melhor em Casa - Ministério habilita mais 57 equipes de atenção domiciliar



O programa Melhor em Casa passa a contar com mais 57 equipes que prestam atendimento domiciliar pelo Sistema Único de Saúde (SUS). A portaria nº 1.620 habilita 39 Equipes Multiprofissionais de Atenção Domiciliar (EMAD) e 18 Equipes Multiprofissionais de Apoio (EMAP), totalizando 57 novas equipes nos estados de Minas Gerais, Rio de Janeiro, Goiás, São Paulo e Bahia.

“O programa veio qualificar o atendimento domiciliar que já existia em alguns locais, além de expandir para localidades que contavam com equipes de atenção domiciliar e se tornou uma das prioridades do governo federal”, destaca o coordenador do Programa Melhor em Casa, Aristides Oliveira.

Desde o seu lançamento, em novembro de 2011, o programa já habilitou 343 Equipes Multiprofissionais de Atenção Domiciliar e 140 equipes multiprofissionais em 19 estados, alcançando 84 municípios. Deste total, 122 EMADs e 45 EMAPs já estão atendendo a população em 44 municípios de 15 estados.

O Ministério da Saúde custeia as equipes principais com o valor de R$ 34,56 mil mensais e R$ 6 mil por equipe de apoio. Até 2014, o investimento total é de R$ 1 bilhão, para implantação de mil equipes de Atenção Domiciliar e outras 400 equipes de apoio. Pessoas com necessidade de reabilitação motora, idosos, pacientes crônicos sem agravamento ou em situação pós-cirúrgica e com possibilidade de desospitalização, por exemplo, são atendidas por equipes multidisciplinares durante toda a semana (de segunda a sexta-feira), 12 horas por dia e, podendo ser em regime de plantão, nos finais de semana e feriados.

As equipes são formadas, prioritariamente, por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem e fisioterapeuta ou assistente social. Outros profissionais como fonoaudiólogo, nutricionista, terapeuta ocupacional, odontólogo, psicólogo e farmacêutico, além de fisioterapeuta e assistente social poderão compor as equipes de apoio. Cada equipe poderá atender, em média, 60 pacientes, simultaneamente.
Segundo o Ministério, o programa Melhor em Casa também ajuda a reduzir as filas nos hospitais de emergência, já que a assistência, quando há indicação médica, passa a ser feita na própria residência do paciente, desde que haja o consentimento dele e da família. Até 2014, serão implantadas equipes em todas as regiões do país.

Mudança – Recentemente o Ministério da Saúde mudou algumas regras do programa para ampliar o número de municípios aptos a receberem o Melhor em Casa. Municípios com mais de 40 mil habitantes poderão implantar o programa, desde que tenham o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192) ou serviço próprio de atendimento às urgências, além de possuir um hospital de referência. A portaria anterior restringia os municípios de 40 mil habitantes às regiões metropolitanas.

Outra mudança importante refere-se à flexibilidade da carga horária dos profissionais que compõem as equipes. Os profissionais auxiliares ou técnicos de enfermagem, por exemplo, poderão ter somatório de sua carga horária semanal mínima de 120 horas. A portaria anterior previa 160 horas semanais. Os critérios para implantação de mais de uma equipe de atendimento domiciliar também foram reduzidos. O município que tiver acima de 150 mil habitantes poderá implantar uma segunda equipe de atendimento domiciliar e assim sucessivamente. Antes, os municípios precisavam alcançar a população de 200 mil habitantes para constituir a segunda equipe.



sexta-feira, 27 de julho de 2012

Terceira Idade - mensagem


‎"Um dia o meu espelho me contou...
Você está na terceira idade!!!

Tomei um susto... me olhei de novo...
percebi então...que pela aparência externa... eu estava mesmo...
dura realidade...fiquei pensando...

Quando entrei na terceira idade?...
Não me lembrava...entrei tão devagarzinho...
que nem percebi...quando teria sido?...

Não com a queda de meus cabelos...
esses começaram a cair nos trinta...

Cabelos brancos?...
O grisalho me pegou cedo...
tinha uns 45... na época não meteu medo...
mas quando teria sido?..

Como posso ter me esquecido?

As rugas?..
Meu gordo rosto sempre as escondeu..
ainda não as tenho muito...

A aparência cansada?.
Esta é de agora...
Não defini a data... mas um dia..
sem que eu percebesse... entrei na terceira idade...

O que é terceira idade?...
Apenas uma convenção...
Definiu-se pela idade... 55... 60... não sei.. .
sei que pela minha mente...ainda sou adolescente...
agora... até mais que antes... voltei a agir por impulsos...
me sinto ainda uma criança...
e ainda nessa minha andança... pelos caminhos da vida...
eu crio artes...

Minha mente bola travessuras...
as mais belas aventuras...
para minha criança fazer...
virei criança outra vez...

Aquele menino quieto...
calado e tímido de outrora...
mas que na hora de brincar...
inventava mil coisas na hora...
que à minha mãe enlouqueciam...

Assim era eu... será um início de caduquice?...
mas ainda me sinto assim!!!

Me sinto ainda adolescente...
sentindo ainda, a vida pela frente...!!!

Ainda sinto o amor...
Ainda sinto a vida...
Estou na 3ª idade...
Estou vivo!!!!!!!
Obrigado, Deus!!!!!"

Autor Desconhecido

quinta-feira, 26 de julho de 2012

Exercícios Físicos ajudam a proteger o cérebro do Alzheimer



Três estudos mostram relação entre atividades físicas e melhora em funções cognitivas

Três pesquisas recentes mostram que exercícios físicos podem ajudar a promover as funções mentais e reduzir os riscos de declínio cognitivo e demência em idosos saudáveis ou com comprometimento cognitivo leve. Elas foram apresentadas no último domingo, durante a Conferência Internacional da Associação de Alzheimer, realizada em Vancouver, no Canadá. “Esses novos estudos começam a esclarecer exatamente quais tipos de atividades físicas são mais efetivas, o quanto precisam ser praticadas e por quanto tempo”, diz William Thies, diretor médico e científico da Associação.

Um dos estudos, realizado pela Universidade de Pittsburgh, mostra que a caminhada pode ajudar a aumentar o tamanho de regiões cerebrais envolvidas com a memória. Os pesquisadores compararam o efeito no cérebro de dois grupos de idosos: aqueles que fizeram três sessões semanais de caminhada e aqueles que fizeram a mesma quantidade de treinos de musculação. O hipocampo dos idosos que praticaram a caminhada aumentou 2% em relação aos que fizeram musculação. A área está ligada à memória, e sua redução é um dos sinais do Alzheimer.

Segundo os organizadores da conferência, isso não significa que um tipo de exercício é melhor que outro, mas que diferentes exercícios podem afetar diferentes aspectos da saúde cerebral. Para demonstrar isso, eles exibiram uma segunda pesquisa, conduzida na Universidade da Columbia Britânica, no Canadá. Ela comparou o efeito de duas sessões semanais de exercícios de levantamento de peso com a mesma quantidade de treinamento aeróbico em mulheres que tinham entre 70 e 80 anos, com comprometimento cognitivo leve.

O grupo que levantou peso apresentou um desempenho melhor em testes que medem atenção, resolução de conflitos e memória. Além disso, esses treinos também trouxeram mudanças funcionais em três regiões cerebrais envolvidas com a memória.

O terceiro estudo apresentado foi conduzido por pesquisadores do Centro Nacional de Geriatria e Gerontologia do Japão. Eles analisaram o impacto de uma série de exercícios variados sobre as funções cerebrais de idosos com comprometimento cognitivo leve. O programa incluía exercícios aeróbicos, de força muscular e de postura realizados durante um ano.

Os pesquisadores compararam as funções cerebrais desses idosos com a de outros que não fizeram exercícios, mas assistiram aulas sobre como cuidar de sua saúde. Apesar de os dois grupos terem apresentado melhoras em testes de memória e de uso de linguagem, o resultado foi mais significativo naqueles que praticaram atividades físicas.

USP promove seminário sobre deficiência visual



O objetivo é de abordar demandas por serviços especializados e ações para melhorar qualidade de vida da pessoa com deficiência visual

Na próxima sexta-feira (27), a Universidade de São Paulo (USP), com apoio da Secretaria da Pessoa com Deficiência e do Departamento de Oftalmologia da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), irá promover o I Seminário USP sobre Deficiência Visual – Da prevenção à Reabilitação: Realidade e Objetivos.

O evento terá entrada franca e é voltado para representantes de organizações públicas e privadas, assistentes sociais, auxiliares e técnicos de oftalmologia, educadores, fisioterapeutas, fonoaudiólogos, médicos, professores de orientação e mobilidade, profissionais de reabilitação, psicólogos, terapeutas ocupacionais, além de pessoas com deficiência visual e familiares.

O encontro discutirá os temas “Ações para promoção da saúde ocular”, “Atenção à pessoas com deficiência visual”, “Qualidade de vida das pessoas com deficiência” e “Legislação e inclusão no trabalho”. Os interessados em participar do I Seminário USP sobre Deficiência Visual devem enviar um e-mail com os seguintes dados: nome, atividade profissional, CPF, telefone e endereço residencial para os seguintes endereços eletrônicos: maohaddad@uol.com.br ou janainaguerra@hcnet.usp.br.

Fonte: www.crefito.com.br

terça-feira, 24 de julho de 2012

Reino Unido aprova prescrição de medicamentos por fisioterapeutas e podólogos


Fisioterapeutas e podólogos do Reino Unido poderão prescrever de forma independente a partir de 2014
O Departamento de Saúde do Reino Unido aprovou, nesta terça-feira (24), a prescrição de medicamentos por fisioterapeutas e podólogos. A medida foi anunciada pelo Ministro da Saúde, Lord Howe. A proposta garante aos pacientes do país acesso mais rápido a medicamentos para o alívio da dor e anti-inflamatórios.

Estes profissionais serão submetidos a treinamento e, em seguida, serão os primeiros do mundo a terem autonomia para a prescrição de medicamentos de forma independente.

Fisioterapeutas terão direito de prescrever medicamentos para problemas como dores crônicas e doenças respiratórias como a asma. Podólogos que tratam de pacientes com uma ampla gama de condições, incluindo úlceras do pé diabético e distúrbios artríticos no pé e tornozelo também estarão liberados para indicar terapias medicamentosas adequadas aos seus pacientes. Segundo o Departamento de Saúde, a medida irá ajudar os pacientes a responderem mais rapidamente aos tratamentos.

"Ao introduzir estas mudanças, pretendemos fazer o melhor uso das habilidades de fisioterapeutas e podólogos para permitir que pacientes se beneficiem de um serviço mais rápido e eficaz, sem comprometer a segurança", diz Howe. A presidente da Chartered Society of Physiotherapy, Helena Johnson, completa: "Dar a oportunidade a fisioterapeutas de prescrever de forma independente irá melhorar enormemente os cuidados que podemos fornecer no futuro. Os pacientes passarão a receber um serviço mais ágil e eficiente, o que significa que vão obter os medicamentos de que necessitam de imediato."

A proposta de expandir as responsabilidades de prescrição segue duas consultas públicas realizadas em 2011, além de recomendações subsequentes da Commission on Human Medicines. Fisioterapeutas e podólogos que completarem com êxito o Health Professions Council (HPC) aprovados em programas de educação e registrados no HPCregister poderão prescrever de forma independente a partir de 2014.


Quedas matam quatro idosos por dia em SP, diz pesquisa



Um balanço da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo aponta que, por dia, em média, quatro idosos morrem no Estado em razão de quedas. Em 2011, segundo o levantamento, das 27.886 pessoas com mais de 60 anos internadas em hospitais públicos por conta de alguma queda, 1.507 morreram.

O alto índice de mortalidade se deve, sobretudo, às consequências causadas pelos acidentes. Alguns tipos de fraturas só podem ser tratadas com cirurgias, durante as quais podem ocorrer complicações. "Ao contrário do que muitos pensam, cair na terceira idade não é normal e típico dessa fase da vida. A queda indica que algo está errado. Por isso, é muito importante que os idosos procurem um médico após caírem, para que o motivo do acidente seja investigado e tratado", explica Christine Brumini, fisioterapeuta e coordenadora da reabilitação do Centro de Referência do Idoso (CRI).

Entre os principais motivos das quedas está a osteoporose, que é o enfraquecimento dos ossos, a diminuição dos sentidos, como a visão e o equilíbrio, e o enfraquecimento dos músculos. "Por conta dos fatores e comportamentos de risco, a prevenção é fundamental para evitar as quedas e, consequentemente, diminuir o alto índice de mortalidade provocado por elas", alerta Christine.

Para prevenir as quedas na terceira idade, a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, em parceira com o Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Municipal (Iamspe) e a Universidade da Cidade de São Paulo (Unicid), criou o manual Cair de maduro é só para fruta, com informações sobre os fatores de risco para quedas e dicas de como evitá-las. 
O material é disponibilizado gratuitamente pela internet no link abaixo:



Simpósio Internacional de Geriatria e Gerontologia - SIGG 2012



Para se inscrever: http://dpdphp.epm.br/acad/siex/index.htm

terça-feira, 17 de julho de 2012

I Fórum de Doenças Neuromusculares - Atualizações para equipe multidisciplinar



O IPG - Instituto Paulo Gontijo e a ABDIM - Associação Brasileira de Distrofia Muscular reunirão profissionais para o I Fórum sobre atualização e tratamento de doenças neuromusculares, que será realizado:

24 agosto das 14 às18hs

Hotel Blue Tree Premium Morumbi, sala Topázio, 1o. andar

Taxa de Inscrição R$ 56,00*

Número de Vagas disponíveis: 100

O objetivo deste evento é estimular o diálogo nacional, diminuindo a distância entre a pesquisa clínica e a intervenção da equipe multidisciplinar que atua no tratamento dos pacientes de DNM e de ELA - Esclerose Lateral Amiotrófica.

Convidados para o Debate:

Médicos/ Fisiatras/Fisioterapeutas/ Nutricionistas/ Terapeutas Ocupacionais/ Psicólogos/ Fonoaudiólogos/Assistentes Sociais.

Para exposições conclusivas e de sensibilização:

Sra. Mara Gabrilli- deputada federal

Mediadores

1) Prof. Dr. Francisco Rotta: membro titular da Academia Brasileira de Neurologia, ex-membro do conselho diretor da Aliança Internacional de Associações de Doençasdo Neurônio Motor/Esclerose Lateral Amiotrófica, coordenador do ambulatório de doenças neuromusculares da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre e fundador da Associação Regional de Esclerose Lateral Amiotrófica do Rio Grande do Sul.

2) Profa. Dra. Mayana Zatz: professora titular de genética, diretora do Centro de Estudos do Genoma Humano e Instituto Nacional de células-tronco em doenças genéticas na Universidade de São Paulo (USP) e presidente da Associação Brasileira de distrofia muscular.

*Todo o dinheiro arrecadado será destinado as obras assistenciais do IPG.



Programação

24/08/2012

14hs - Abertura oficial

Mara Gabrilli
14h15 - Painel 1 - "Atendimento Multidisciplinar: onde estamos e onde precisamos chegar"

Mediação: Prof. Dr. Francisco Rotta
Participação*:

Patricia Stanich - Nutricionista
Adriana Klein - Terapeuta Ocupacional
Simone Gonçalves de Andrade Holsapfel - Fisioterapeuta
Dra. Fernanda Rocco - Fisiatra
Dr. Andre Minchillo - Home Care
Dra. Ana Lucia Lanjer - Clínica Médica
15h30 às 16h45 - Debate entre profissionais

16h15 às 16h30 - Perguntas e Respostas

16h30 às 16h45 - Coffee Break

16h45 às 17h45 - Painel 2 - "Como estão as pesquisas genéticas em doenças neuromusculares e em ELA"

Mediação: Profa. Dra. Mayana Zatz
17h45 às 18hs - Encerramento





http://www.ipg.org.br/forum/

I Workshop Multidisciplinar Dal Ben - O Paciente Idoso e sua Famíllia


segunda-feira, 16 de julho de 2012

BONS AMIGOS - mensagem


Olha que mensagem e que foto...Lindo!!


BONS AMIGOS

Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!

Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!

Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!

Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!

Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!

Há pessoas que choram por saber que as rosas têm espinhos,
Há outras que sorriem por saber que os espinhos têm rosas!
(Machado de Assis)

Meditação ajuda a lidar com a dor



Segundo um estudo recém divulgado pela Universidade de Manchester, no Reino Unido, pessoas que praticam meditação com regularidade tendem a suportar melhor a dor, pois seus cérebros são capazes de antecipar a sensação desconfortável a que serão submetidos.

“A meditação está ficando mais popular no tratamento de dores crônicas, como aquela causada pela artrite”, disse Christopher Brown, que conduziu o trabalho, ao site da instituição.

Para muitos profissionais da área de saúde essa pesquisa – publicada pela revista especializada Pain – reforça exatamente aquilo que observam frequentemente em seus consultórios.

“Muitas vezes os pacientes entram em um ciclo vicioso, pois as dores crônicas levam à contração muscular que, por sua vez, piora a percepção dolorosa. Com a meditação esse ciclo é quebrado, pois eles aprendem a olhar aspectos mais positivos em vez de focar a atenção na dor e na doença”, informa a anestesiologista Fabíola Peixoto Minson, diretora da SBED (Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor) e coordenadora dos centros de tratamento de dor dos Hospitais Albert Einstein e São Luiz, em São Paulo (SP).
Pois é, mas a história nem sempre foi assim: até pouco tempo atrás a meditação era vista com muita desconfiança pela classe médica. As coisas só começaram a mudar nos últimos anos, quando ficou claro que a dor tem um componente afetivo e, por isso, tentar tratá-la apenas com analgésicos nem sempre dá certo.

“O preconceito contra a meditação está menor. Até porque, na prática, já se sabe que os doentes que meditam evoluem melhor”, avalia Edson Amâncio, neurocirurgião do Centro de Dor do Hospital Nove de Julho, na capital paulista.

Mecanismos de ação

Segundo Elisa Harumi Kosaza, bióloga e pesquisadora do departamento de Psicobiologia da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), os benefícios proporcionados pela meditação à saúde podem ser explicados a partir de basicamente dois aspectos: fisiológico e psicológico.

“O primeiro tem a ver com a liberação de neurotransmissores, como a endorfina, que ajudam a reduzir a sensação de desconforto. Já o segundo está relacionado à forma como a pessoa encara a dor, passando da rejeição a uma postura de compreensão e acolhimento”.

Considerando que pessoas inquietas e preocupadas tendem a exacerbar a percepção dolorosa, outro ponto que merece ser destacado é justamente o efeito da meditação na redução da ansiedade. “Calmos, os pacientes colaboram mais com o tratamento indicado”, observa Fabíola, diretora da SBED.

Vida com dor

Para Stephen Little, um dos pioneiros na aplicação das práticas meditativas na área da saúde no Brasil e instrutor na clínica Anima de Medicina Integrativa e Complementar, em São Paulo (SP), o segredo é o paciente perceber que não precisa tentar controlar ou fugir da dor, e sim conviver com essa sensação de forma gentil e criativa.

“O esforço habitual e inconsciente de se livrar da dor é o que mantém as pessoas presas à experiência desagradável da qual desejam escapar. Em outras palavras: a tentativa de acabar com o problema é o problema!”, resume.

Entrar em contato com o próprio corpo permite, portanto, que uma pessoa se conheça melhor e obtenha recursos internos para vencer a dor instalada. Dessa maneira, é possível não só aumentar como incentivar a participação do paciente e de seu organismo no processo de cura, deixando-o mais preparado para receber medicações e passar por determinados procedimentos – como uma quimioterapia ou cirurgia.

Faz bem para quem?

Quando realizada de forma apropriada, com prazer e regularidade, a meditação pode ajudar pessoas que apresentam qualquer tipo de quadro, como estresse, dor crônica nas costas, artrite, fibromialgia, fadiga crônica, dor pós-operatória, câncer, distúrbio nervoso, esclerose múltipla, mal de Parkinson e por aí vai. De acordo com Little, a técnica só tem uma contraindicação: situações de depressão.

“O método é indicado para esses casos, mas não quando o paciente está no meio de uma crise, pois pode ficar em contato com pensamentos que só geram mais tristeza”, ensina.

Para quem até gosta da ideia, mas acha que não tem paciência para realizar uma atividade como essa, um lembrete: meditar não é só permanecer sentado e de olhos fechados por um tempão. Além de existir um método de trabalho, “há várias modalidades de meditação. Para pessoas mais agitadas, por exemplo, é possível indicar práticas que incluem movimento”, avisa a pesquisadora Elisa Harumi Kosaza, da Unifesp.

Coadjuvante de peso

É preciso ressaltar que a meditação funciona como um complemento a tratamentos tradicionais. Por isso, o ideal é que o médico ajude a conduzir o pacientes por esses caminhos diferenciados. “Podemos indicar meditação associada a medicamentos, bloqueios dos nervos que levam a dor ao cérebro, psicoterapia e fisioterapia”, exemplifica Fabíola Minson.

Esse é justamente o caso da empresária Luciana Panzetti Moliterno, 39 anos, de São Paulo (SP). Depois de ser diagnosticada com enxaqueca crônica – quadro caracterizado por dores fortíssimas na cabeça, face, músculos das costas e pescoço – ela foi submetida a todos os procedimentos mencionados pela diretora da SBED, incluindo a meditação.

“No começo senti dificuldade para praticá-la, pois a dor atrapalhava demais e nunca encontrava uma postura cômoda. Mas continuei fazendo e percebi que, além de me relaxar, as aulas tiram o foco da dor e permitem que eu sinta mais o meu corpo”.

“Era muito jovem e estava bastante assustada. Aí meus médicos me encaminharam para um grupo de apoio que ensinava técnicas meditativas. Elas foram superimportantes para relaxar, fortalecer a mente, aumentar a imunidade, minimizar as dores e entrar em profundo contato com meu corpo”, lembra.

Encantada com o poder que a mente exerce sobre o corpo, a empresária incorporou algumas técnicas em sua rotina. Hoje, pratica com mais afinco por causa das dores crônicas.

“Estou voltando a viver e posso dizer que a meditação me ajudou, mais uma vez, a superar os obstáculos, me trazendo para o momento atual, acalmando meu corpo e minha mente e, é claro, proporcionando mais qualidade de vida, pois é isso que realmente conta”, comemora.

http://saude.ig.com.br/bemestar/

Compatibilidade sanguínea - doação de sangue

Há alguns dias estava conversando com algumas pacientes, explicando justamente sobre compatibilidade sanguínea, pois estava angariando voluntários para doar sangue e eis que hoje essa figura foi postada no facebook. Super didática e de fácil entendimento.
A primeira coluna é o seu tipo sanguíneo (A, B, AB, O, positivo ou negativo). A segunda coluna é para quem você (o seu tipo sanguíneo) pode doar. E a terceira coluna é de quais tipos sanguíneos você pode receber. 
Exemplo: O meu tipo sanguíneo é AB +. Posso doar apenas para quem tem sangue AB +. Posso receber de todos os tipos sanguíneos (A, B, AB, O tanto positivo quanto negativo). Por isso que quem tem sangue tipo AB é considerado receptor universal.
Exemplo 2: O indivíduo que tiver sangue tipo O, pode doar para todos os tipos sanguíneos e recebe apenas de quem tem sangue tipo O. Quem tem esse tipo sanguíneo é considerado doador universal e  por isso que esse tipo é tão usado em emergências e hospitais e sempre é o mais necessário nos bancos de sangue.
Agora que você já sabe o seu tipo de sangue, pra quais pode doar e de quais pode receber, fica mais fácil entender quantas pessoas podem ser beneficiadas com uma doação! 
Faça sua parte e doe sangue! 



Cientistas detectam Alzheimer antes dos sintomas aparecerem




Um grupo de cientistas americanos desenvolveu uma técnica para detectar sinais da doença de Alzheimer 25 anos antes da doença apresentar seus primeiros sintomas.

A pesquisa é a porta de entrada para novos tipos de tratamentos precoces que podem se tornar a melhor chance da medicina para combater a enfermidade.

Os cientistas, da Escola de Medicina da Universidade de Washington, selecionaram para o estudo pacientes britânicos, americanos e australianos que possuem risco genético para desenvolver a doença.

Dos 128 pacientes examinados, 50% têm chances de herdar uma das três mutações genéticas conhecidas pela ciência que provocam o Alzheimer.


O grupo também tem chance aumentada de começar a sofrer da doença a partir dos 30 ou 40 anos - muito mais cedo que a maioria dos pacientes de Alzheimer, que desenvolvem o mal na casa dos 60 anos.

Os pesquisadores analisaram os pais dos pacientes para descobrir com que idades eles haviam desenvolvido a doença. A partir disso começaram a tentar avaliar quanto tempo antes disso era possível detectar os primeiros sinais da enfermidade.

Foram realizados exames de sangue, de líquor (fluído espinhal), de imagens do cérebro e também avaliações de habilidades mentais nos pacientes.

Os pesquisadores descobriram, então, que era possível detectar pequenas mudanças no cérebro de quem possuía alguma das mutações que no futuro levarão ao surgimento do Alzheimer.

Por volta de 15 anos antes do aparecimento da doença, pacientes já apresentavam níveis anormais de uma proteína de células que podem ser encontradas no fluído espinhal.


Além disso, imagens do cérebro revelaram encolhimento em algumas regiões do cérebro desses pacientes.

Dez anos antes dos primeiros sintomas foram detectados problemas de memória e um processamento anormal da glicose no cérebro dos estudados.

Em pacientes que não possuiam as mutações, não foram detectadas alterações nesses marcadores.

Os resultados da pesquisa foram publicados no New England Journal of Medicine.

"Essa importante pesquisa mostra que mudanças-chaves no cérebro, relacionadas à transmissão genética da doença acontecem décadas antes do aparecimento dos sintomas. Isso pode gerar grandes implicações para o diagnóstico e o tratamento no futuro", afirmou Clive Ballard, diretor de pesquisa da Sociedade de Alzheimer.

"Os resultados de pacientes com Alzheimer herdado por fatores genéticos parecem similares às mudanças provocadas em casos não-genéticos, na forma comum da doença", disse Eric Karran, diretor de pesquisa da Sociedade Britânica do Alzheimer.

"É provável que qualquer novo tratamento para Alzheimer deverá ser começado mais cedo para ter a melhor chance de sucesso".

"A habilidade para detectar os primeiros estágios da doença de Alzheimer não só permite que as pessoas planejem e tenham acesso aos cuidados e tratamentos existentes mais cedo, mas também permitirá que novas drogas sejam testadas nas pessoas certas, na hora certa"



http://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/bbc/2012/07/12/cientistas-detectam-mal-de-alzheimer-antes-dos-sintomas-aparecerem.htm



quarta-feira, 11 de julho de 2012

Dia Mundial da Fisioterapia - World Physical Therapy Day - 8 de setembro



World Physical Therapy Day falls on 8th September every year, and is an opportunity for physical therapists from all over the world to raise awareness about the crucial contribution their profession makes to keeping people well, mobile and independent. World Confederation for Physical Therapy (WCPT) supports member organisations in their efforts with a toolkit of free materials.

http://www.wcpt.org/sites/wcpt.org/files/files/wptday12/WPTD-Practical-Guide.pdf

http://www.wcpt.org/sites/wcpt.org/files/files/wptday12/WPTD-Clinical-resources.pdf


De acordo com a WCPT, este dia é uma oportunidade para os fisioterapeutas de todo o mundo promoverem ações de sensibilização da sua profissão em manter as pessoas saudáveis, independentes e com mobilidade. Com o tema "Em forma para a Vida", a WCPT associa o movimento à promoção da saúde. "Se deseja continuar saudável, mantenha-se em movimento - ao longo de toda a sua vida" é o apelo comum aos diversos materiais informativos do Dia Mundial da Fisioterapia 2012, disponiveis no site.

Outras informações:
http://www.wcpt.org/wptday

terça-feira, 10 de julho de 2012

Curso: Massagem em Idosos - Cruz Vermelha



PROGRAMAÇÃO
INICIO
11/08/2012 - das 8h00 às 17h00 – sábado

CARGA HORÁRIA
8 horas

CONCEITO
Com o envelhecimento, certas mudanças no nosso organismo são inevitáveis. E é, justamente, em nosso corpo que notamos os primeiros sinais de envelhecimento: enrugamos, ficamos com a pele seca e sem elasticidade, perdemos a habilidade para tarefas rotineiras, entre outras. A massagem é uma forma ideal para ajudar o idoso a manter a qualidade de vida, diminuindo e aliviando os problemas físicos e emocionais mais comuns da terceira idade. Com ela, problemas como artrite, reumatismo, fadiga muscular, dores na coluna, problemas digestivos e intestinais, cansaço, ansiedade e depressão podem ser amenizados.

OBJETIVO
Desenvolver e preparar profissionais e familiares para executar técnicas de tratamento corporal através da massagem em idosos, visando proporcionar aos mesmos bem estar e qualidade de vida.

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO
- Conceito de Envelhecimento
- Longevidade
- Metabolismo
- Hormônios e Envelhecimento
- A imagem corporal
- O Aposentado e o Idoso em Instituições
- O idoso e a Visão Oriental da Saúde
- A Massagem para Idosos
- Os Benefícios da Massagem para Idosos
- Cuidados ao fazer a Massagem em Idosos
- Alongamentos e seus benefícios

PROFESSOR
Cristina Andrade - Terapeuta Corporal formada pela Escola Humaniversidade Holística, com experiência em atendimentos com Shiatsu, Zen Shiatsu, Shiatsu Emocional, Reflexologia Podal, Auriculoacupuntura, Cristais, Florais de Bach e Reiki. Especializada em atendimentos a Idosos. Filiada a Aromaflora - Associação Brasileira de Estudos e Pesquisas em Aromaterapia e ao Satosp - Sindicato dos Acupunturistas e Terapeutas Orientais do Estado de São Paulo – CRTO 1926.

PÚBLICO ALVO
Profissionais da área da saúde, profissionais que trabalham ou almejam trabalhar com idosos; massoterapeutas e familiares que desejam proporcionar ao idoso bem estar e momentos de carinho e atenção.

MATERIAL FORNECIDO
Apostila e Certificado.

VALOR
R$ 100,00

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS
Cópias do RG, CPF e comprovante de residência com CEP

OBSERVAÇÕES:
•O curso está sujeito a confirmação.
•Fica reservada à Coordenação Geral, a substituição de professores por outros, de igual qualificação, caso haja necessidade.
•Não haverá reembolso em caso de desistência ou ausência do aluno.

MAIORES INFORMAÇÕES
Telefone: (11) 5056-8685
E-mail: atendimento@cvbsp.org.br

Cruz Vermelha Brasileira -  http://www.cvbsp.org.br/media/cl_massagemidosos.php

Você sabe a diferença??


PARESTESIA - sensações cutâneas subjetivas (ex. formigamento, pressão) que são vivenciadas espontaneamente na ausência de estimulação.

PARESIA - redução da força de contração muscular. Perda parcial dos movimentos.

HIPOESTESIA - diminuição da sensibilidade cutânea.

PARALISIA - nenhuma força de contração muscular, perda total dos movimentos.

ANESTESIA - nenhuma sensibilidade cutânea.

Figura: www.fisioterapia.com

Curso: " O Equilíbrio como Recurso Terapêutico - Balance"


Curso Teórico-Prático
Ministrantes: Ana Akerman, Dulce de Jesus Gonçalves e Monica Rodrigues Perracini

Programa:

• Desenvolvimento motor: Processo de aquisição do equilíbrio
• Conceitos de Biomecânica
• Balance x Reação de Equilíbrio x Reação de Proteção
• Estratégias do tornozelo, do quadril, do tronco e do passo
• Influência do tronco e sua importância
• Definindo sistemas para o controle do ajuste postural
• Bases anatômicas e fisiológicas do Balance
• O papel dos inputs sensoriais: sistema visual, vestibular e somatosensorial
• Formas de avaliar o Balance
• Estratégias sensoriais (Prática)
• Estratégias motoras (Prática)
• Formas de modificar as respostas (Prática)
• Diferentes formas de trabalhar o Balance (Prática)
• Trabalho em superfície móvel: bola (Teoria e Prática)
• Princípios da Reabilitação Vestibular (Teoria e Prática)
• Aplicações no tratamento: Ortopedia, Geriatria e Neurologia (Vídeos)

Período: 20 a 23 de setembro de 2012
Horários:
Dia 20 –13h45min às 19h30min
Dia 21 - 08h00min às 18h00min
Dia 22 - 08h00min às 18h00min
Dia 23 - 08h00min às 14h30min
VAGAS LIMITADAS


Local: Espaço Maestro - Rua Maestro Cardin 1.170, Paraíso- São Paulo/SP
(próximo ao metro Paraíso e Shopping Paulista).

Valor do Curso: R$1.290,00 (em 05 pagamentos de R$ 258,00)

Informações e inscrições (0xx11) 3774-7255 c/ Elaine das 09h00min às 18h00min
E-mail: gerocare@gerocare.com.br

Importante: Em caso de desistência (se não for possível a substituição por outro aluno), com até 20 dias de
antecedência do curso, será devolvido somente 20% do valor do curso, devido às vagas serem limitadas.
Curso dirigido a Fisioterapeutas, Terapeutas Ocupacionais e estudantes (último ano)

SERÃO FORNECIDOS: APOSTILA, COFFEE BREAK, CERTIFICADO E GYNASTIC BALL

Você sabia??

Vai continuar aí parado??

Você sabia??

Fazer exercícios físicos no inverno aumenta em até 30% queima de calorias.

Mas é importante aquecer bem para evitar lesões. A ordem então é se movimentar... 


Dica de Livro - "Para Sempre Alice"

Decidi a partir de agora, postar mensalmente uma sugestão de leitura. Adoro ler e acho que a leitura é uma porta para o conhecimento e para o crescimento de qualquer indivíduo. Seja da área da saúde, técnico ou não, todo mês, vou dar uma sugestão de livro dos tantos que eu já li e dos muitos que ainda vou ler...

A primeira sugestão é o livro:





Livro: "Para Sempre Alice"
Autor: Genova, Lisa
Editora: Nova Fronteira



Aos 50 anos, Alice começa a esquecer. No início, coisas sem importância, como o lugar em que deixou o celular, até que, um dia, ela se perde a caminho de casa. Um diagnóstico inesperado altera para sempre sua vida e sua maneira de se relacionar com a própria família e o mundo. E, quando não há mais certezas possíveis, só o amor sabe o que é verdade.

É um livro lindo, emocionante e acima de tudo humano. Trata de maneira comovente a vida de uma professora e pesquisadora conceituada de Harvard, que descobre aos cinquenta anos que está com Alzheimer. Eu adorei e espero que vocês também gostem.

Boa leitura!!!

domingo, 8 de julho de 2012

Extraordinary Microscope Photographs

The Olympus BioScapes Digital Imaging Competition winners are currently on display at the New York Hall of Science. This competition, in its ninth year, is a dynamic international photo competition which honors the world's most extraordinary microscope images and videos of biological subjects. The Olympus BioScapes exhibit will be on display through August 31st. You can see the winners and many honorable mentions on the Olympus Bioscapes web site.


FIRST PLACE - Specimen: Rotifer Floscularia ringens feeding. Its rapidly beating cilia (hair-like structures) bring water-containing food to the rotifer. Technique: Differential interference contrast microscopy. (Charles Krebs/Issaquah, Washington, USA)


FIFTH PLACE - Specimen: Live coral Goniastrea sp., known as green brain coral. One full polyp in the center is shown with four surrounding polyps. Walled corallites are purple. Technique: Phase contrast illumination. (James H. Nicholson/NOAA/NOS/NCCOS/Fort Johnson Marine Resources Center/Charleston, South Carolina, USA)


SIXTH PLACE - Specimen: Stinkbug eggs. Technique: Brightfield illumination. (Haris Antonopoulos/Athens, Greece)


SEVENTH PLACE - Specimen: Drosophila ovaries and uterus. Technique: Fluorescence. (Gunnar Newquist/University of Nevada/Reno, Nevada, USA)


NINTH PLACE - Specimen: Living diatom Mediopyxis helysia, showing the cell nuclei and golden chloroplasts. Technique: Brightfield. (Wolfgang Bettighofer/Kiel, Germany)


TENTH PLACE - Specimen: Spherical colonies of Nostoc commune, a bluegreen alga.Technique: Darkfield illumination. (Gerd Guenther/Duesseldorf, NRW, Germany)


HONORABLE MENTION - Specimen: Serum arrested Mouse L-1210 cells engaged in spontaneous apoptosis (programmed cell death) after nutrient depletion and acid hydrolysis. Technique: Phase contrast microscopy, 400x, image scanned and enlarged. (Frank Abernathy/Jamestown, Ohio, USA)


HONORABLE MENTION - Specimen: Plant seed from freshwater pond near Moscow, Russia. Technique: Fluorescence, 10x objective. (Daniel StoupinMoscow, Russian Federation)


HONORABLE MENTION - Specimen: Cross section of a cat tooth showing membrane surrounding the outside of tooth. Technique: Darkfield illumination, 25x magnification. Image composed of 38 images. (Tim Tiebout/Rochester Institute of Technology/Rochester, New York, USA)


HONORABLE MENTION - Specimen: Neuronal culture. Technique: Fluorescence, 6 images stitched at 40x magnification. – (Dr. Jan Schmoranzer/Freie University, Berlin, Institute for Chemistry and Biochemistry/Berlin, Germany)


HONORABLE MENTION – Specimen: Pretarsus of the third leg of a female drone fly (Eristalis tenax), ventral view. Technique: Confocal, autofluorescence, 20x. (Dr. Jan MichelsInstitute of Zoology/Christian-Albrechts-Universität zu Kiel/Kiel, Germany)


HONORABLE MENTION – Specimen: Rat cerebral cortex with astrocytes’ (yellow) endfeet wrapping around blood vessels (red). Cell nuclei are cyan. Technique: Confocal microscopy, spectral imaging with 50 Z-slices. (Madelyn May/Rensselaer Polytechnic Institute/Troy, New York, USA)


HONORABLE MENTION - Specimen: Mast cell - human eye with conjunctivitis. Image composed of 42 stacked sections. Technique: Confocal microscopy. (Donald Pottle/The Schepens Eye Research Institute/Boston, Massachusetts, USA)


HONORABLE MENTION - Specimen: Damselfly eye. The image reveals the regular, crystal-like hexagonal lattice of the eye’s elements. Technique: Projection of confocal stack, 20x objective. (Dr. Igor Siwanowicz/Max Planck Institute for Neurobiology/Munich, Germany)


HONORABLE MENTION – Specimen: NIH-3T3 connective tissue cells co-transduced with 5 fluorescent proteins. Technique: Confocal microscopy. (Dr. Daniela Malide/National Institutes of Health/ Bethesda, Maryland, USA)


HONORABLE MENTION – Specimen: Forewing (elytron) of the green tiger beetle. (Cicindela campestris) Technique: Reflected light microscopy. (Dr. Jerzy Gubernator/Wroclaw, Poland)


HONORABLE MENTION – Specimen: Adult mouse hippocampus, a region of the brain involved in learning and memory. Reactive astroglia (pale yellow) have proliferated and enlarged in response to neuronal activity over time. Technique: Confocal microscopy, Z-stack of 7 slices. (Dr. Sandra Dieni/Institute of Anatomy and Cell Biology, Albert-Ludwigs University/Freiburg, Germany


HONORABLE MENTION – Specimen: Sporangium of the slime mold Craterium minutum. Technique: Fluorescence. (Dr. Dalibor Matýsek/Mining University - Technical University of Ostrava/Ostrava, Czech Republic)


HONORABLE MENTION - Specimen: Juvenile live bay scallop Argopecten irradians. The ultimate goal of this research is to help restore scallop populations in Rhode Island. Technique: Stereomicroscopy, 1x magnification. (Kathryn Markey/Aquatic Diagnostic Laboratory, Roger Williams University/Bristol, Rhode Island, USA)

http://www.boston.com/bigpicture/2012/06/extraordinary_microscope_photo.html

sábado, 7 de julho de 2012

Uma lição de vida e de superação! Vídeo entrevista Jô Soares e Eliana Zagui

Ela vive no maior hospital do Brasil, o HC,  há 37 anos em decorrência de poliomielite.
Um exemplo de vida, de superação e força de vontade.

http://globotv.globo.com/rede-globo/programa-do-jo/t/videos/v/eliana-zagui-vive-em-um-hospital-e-aprendeu-a-ler-escrever-e-pintar-com-a-boca/2028058/

Benefícios do Yoga



O yoga  é uma prática milenar nascida na Índia. Ele proporciona o equilíbrio entre o corpo e a mente, oferecendo o auto-conhecimento e a integração com o mundo exterior. Com isso, ele leva o praticante a um estado de paz, harmonia e serenidade. Para tanto, a prática deve ser regular, porém não existe idade para se iniciar. Todo e qualquer indívíduo pode se beneficiar com a prática, desde que autorizada por um médico.

Benefícios para o Físico

As posições do yoga são feitas de modo calmo e tranquilo, mas nem por isso deixam de queimar calorias e de moldar o corpo. Além disso, a prática do yoga leva a diminuição das dores corporais com a produção da endorfina, ao aumento da força e do vigor, à melhoria da postura e ao aumento da flexibilidade dos músculos, tendões e articulações.

Benefícios para a Mente

Por exigir bastante concentração do praticante, o yoga estimula a memória, a melhor aprendizagem, a diminuição da ansiedade, da depressão e do estresse, o aumento da percepção global e centrada e a melhora das relações interpessoais. O yogue ainda tem mais paz interior, mais energia e positividade.

Benefícios Bioquímicos

Com exercícios centrados e concentrados, o yoga faz com que a bioquímica do organismo entre em equilíbrio. Sendo assim, a glicose, o sódio e o triglicérides diminuem e a hemoglobina, a tiroxina, as proteínas séricas totais, a vitamina C e a contagem de linfócitos aumentam.

Benefícios Psicomotores

Com o yoga, as suas funções psicomotoras ficarão mais aprimoradas, principalmente o equilíbrio corporal, as funções cognitivas e as integradas do corpo, assim como a coordenação motora. Portanto, ele contribui para o aumento da destreza de habilidades, para a firmeza dos movimentos e para a força de apreensão e percepções profundas.



quinta-feira, 5 de julho de 2012

QUANDO EU ENVELHECER



Quando eu envelhecer e não for mais o eu de sempre, por favor, seja compreensivo, tenha um pouco de paciência.

Quando eu derramar a sopa na minha roupa e quando eu esquecer como colocar o sapato, por favor, lembre-se de quando você começou a aprender as coisas e te ensinava passo-a-passo.

Quando eu estiver repetindo tediosamente as frases que você cansa de ouvir, por favor, seja paciente, deixe-me falando. Quando você era pequeno, repetia incansavelmente as mesmas histórias à beira da sua cama, até você adormecer e ter sonhos bons.

Quando eu precisar de sua ajuda para o banho, por favor, não me culpe. Lembra dos artifícios que eu usava para convencê-lo a tomar banho?

Quando eu estiver perdido na frente das modernidades tecnológicas, por favor, não ria de mim. Lembra como tentava responder aos seus "por quê?"?

Quando eu não tiver força suficiente para andar, por favor, estenda os seus braços para me ajudar. Tal qual quando você aprendeu a andar, não havia os meus braços onde você precisava?

Quando eu esquecer de repente o assunto da conversa, por favor, dê-me um tempo para tentar lembrar. Na verdade o assunto nem importa. Se você estiver ao meu lado, isso já me satisfaz.

Quando você observar o meu envelhecimento, por favor, não fique triste. Compreenda-me, apóie-me. Tal qual quando você teve que cair na vida... 

Acompanhei você a iniciar as trilhas da vida, agora você pode me acompanhar até o final das minhas. Dê-me o seu amor e a sua paciência, vou sorrir com gratidão, um sorriso condensando o meu amor infinito por você.

Saiba o que muda na sua vida com a aprovação do ato médico


Anticonvulsivo pode evitar evolução de Alzheimer, diz neurocientista




Após 30 anos estudando o cérebro idoso, Michela Gallagher descobriu que a perda de memória é causada por uma hiperatividade no córtex cerebral
Foto: Johns Hopkins University/ Divulgação

A neurocientista norte-americana Michela Gallagher, pesquisadora da Universidade Johns Hopkins, entusiasmou a comunidade científica neste ano ao afirmar que um remédio que já existe pode evitar o desenvolvimento do Alzheimer. Após 30 anos estudando o cérebro idoso, ela descobriu que a perda de memória é causada por uma hiperatividade no córtex cerebral. E que essa atividade pode ser controlada com pequenas doses do medicamento anticonvulsivo Levetiracetam, usado em pacientes com epilepsia.


A descoberta foi divulgada em maio em artigo publicado na revista científica Cell Press. Em entrevista exclusiva ao Terra, Gallagher explica que, se aprovado em testes clínicos, o uso do remédio para este fim será liberado em menos de cinco anos. Seria uma grande avanço contra a doença, que atinge uma população crescente de idosos, causando perda gradual de memória e de todas as funções mentais.

Confira a seguir a entrevista completa:

Terra - Você estuda o envelhecimento do cérebro há 30 anos. Quais foram as principais descobertas ao longo da pesquisa? 
Michela Gallagher - Quando comecei a estudar o envelhecimento do cérebro se pensava que à medida que envelhecemos há inevitável perda de neurônios. E os livros de medicina até afirmavam que ocorria 10% de perda por década, ou algo assim. Então, o primeiro avanço realmente significativo foi descobrir que não ocorre essa perda no córtex mesmo se você tiver 80, 90 ou até 100 anos. Isso nos mostrou que o motivo para a perda de memória não era degeneração do cérebro, mas como as células passavam a funcionar. Para investigar isso usamos novas ferramentas de captura de imagem incrivelmente sofisticadas que nos permitem olhar para o cérebro das pessoas enquanto estão fazendo testes de memória. O que vimos foi que um grupo específico de células ficava hiperativo em quem tinha perda de memória. Quem teria imaginado isso há 30 anos? Então descobrimos que a hiperatividade nessa parte do cérebro é que estava causando os problemas.

Terra - Um artigo seu (Reduction of Hippocampal Hyperactivity Improves Cognition in Amnestic Mild Cognitive Impairment) causou comoção na comunidade científica. Por quê? 
Michela - Ao realizar testes em ratos já tínhamos descoberto que havia uma forma para reduzir essa hiperatividade no cérebro e melhorar o desempenho da memória. Então nós descobrimos que havia um tipo de medicamento que poderia ser usado: um antiepiléptico que controla convulsões em seres humanos. Recentemente testamos esse remédio num estudo clínico em humanos e usamos ferramentas magnéticas funcionais para olhar a atividade no cérebro enquanto os pacientes realizavam testes de memória. Verificou-se que em pacientes que têm Comprometimento Cognitivo Leve (CCL) - um grupo que está em transição para desenvolver Alzheimer - a droga reduziu a atividade em excesso e melhorou sua memória.

Terra - Por que você decidiu testar pacientes antes deles desenvolveram Alzheimer? 
Michela - Nessa condição de CCL, a doença ainda não tomou conta do cérebro e a hiperatividade é ainda mais clara. Nas pessoas que já atingiram um diagnóstico de Alzheimer, a hiperatividade na verdade vai embora e o sistema de memória é incrivelmente silencioso se comparado ao normal. Isso ocorre porque quando a pessoa já foi diagnosticada há uma neurodegeneração no cérebro e perda de tecido cerebral. Portanto, este medicamento provavelmente não é um candidato para a tratamento de Alzheimer, mas possivelmente para prevenir o desenvolvimento da doença.

Terra - Quando este remédio estará disponível para o público? 
Michela - Ainda há muita coisa para ser feita antes que isso ocorra. Sabemos que podemos reduzir a hiperatividade durante o que se pensa ser a progressão para a doença de Alzheimer. Mas ainda estamos testando se o remédio vai retardar o desenvolvimento da doença ao ponto que os pacientes não desenvolverão nenhum sintoma. É isso estamos fazendo agora. Faremos mais testes clínicos em humanos, o que deve levar alguns anos. Já sabemos que essa droga é extremamente segura, mas temos que provar o quanto ela é efetiva para prevenir Alzheimer. Mas este é um caminho muito mais rápido do que já fizemos até agora, é algo para ser otimista, temos uma projeção de quatro anos, se tudo correr bem.

Terra - Você teve um caso de Alzheimer na família. Como isso a motivou para procurar uma cura para a doença? 
Michela - No inicio, estava interessada na compreensão básica do cérebro e da memória, não estava buscando uma solução para Alzheimer. Mas com o envelhecimento da população mundial, em pouco tempo essa doença se tornou uma grande necessidade não atendida na sociedade. Alzheimer tem uma incidência muito elevada e causa profunda perda de memória, progredindo para a perda de todas as funções mentais. O que você acabou de mencionar é verdade: foi uma grande ironia que depois de estudar memória por mais de 20 anos minha mãe tivesse Alzheimer. Testemunhei o progresso da doença de perto. Foi uma experiência muito marcante. Naquele momento, eu estava justamente num ponto da minha pesquisa focada no sistema de memória durante o envelhecimento. Então me dei conta que tinha em minhas mãos a possibilidade de entender os motivos que levam à doença e como evitá-la.

http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5876885-EI8147,00-Anticonvulsivo+pode+evitar+evolucao+de+Alzheimer+diz+neurocientista.html

Curso de Reabilitação do paciente Amputado de Membros Inferiores - Teórico-Prático AACD


Reabilitação do Paciente Amputado de Membros Inferiores - Teórico - Prático

Publico Alvo: Estudantes e Profissionais de Medicina, Fisioterapia e Protesistas
Endereço: Avenida Professor Ascendino Reis
Número: 724
Complemento: Anfiteatro AACD
Bairro: Vila Clementino
Cidade: São Paulo
Estado: SP
Organizacao: Setor de Fisioterapia Adulto
Data: 24, 25 e 26 de agosto de 2.012
Horário: Vide Programa (no link abaixo)
Dia da Semana: Sexta, Sábado e Domingo
Valor Profissional: R$ 300,00
Valos Estudante: R$ 200,00
Telefone para informações: 11 - 5576-0979

http://www.aacd.com.br/francoise/Reabilita%C3%A7%C3%A3o%20do%20Paciente%20Amputado.pdf

1º Curso de Neuropatias Periféricas - Síndrome de Guillain Barré e Charcot Marie Tooth AACD


1º Curso de Neuropatias Periféricas - Síndrome de Guillain Barré e Charcot Marie Tooth

Publico Alvo: Profissionais e Estudantes de Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, Psicologia e Médicos.
Endereço: Avenida Professor Ascendino Reis
Número: 724

Complemento: Anfiteatro AACD
Bairro: Vila Clementino
Cidade: São Paulo
Estado: SP
Organizacao: Setor de Terapia Ocupacional
Data: 05 e 06 de outubro de 2.012
Horário: Vide Programa ( no link abaixo)
Dia da Semana: Sexta e Sábado
Valor Profissional: R$ 150,00
Valor Estudante: R$ 110,00
Telefone para informações: 11 - 5576-0979

http://www.aacd.com.br/francoise/Neuropatias%20Perif%C3%A9ricas.pdf

quarta-feira, 4 de julho de 2012

Peso da indústria pode estimular mais cirurgias de coluna



Cirurgias de coluna, especialmente as de hérnia de disco, estão na mira do governo dos EUA. Os custos com esse procedimento passaram de US$ 345 milhões em 1997 para US$ 2,24 bilhões em 2008.

Como pano de fundo, há os conflitos de interesses entre cirurgiões e a indústria de próteses (pinos, placas e outros materiais), que já estão sendo investigados pelo Congresso.

A suspeita é que os médicos estariam indicando cirurgias desnecessárias em troca de comissões.

Um relatório divulgado em 2011 pelo "Wall Street Journal" mostrou que cinco cirurgiões do Norton Hospital, no Kentucky, receberam, cada um, US$ 1,3 milhão da Medtronic, líder em dispositivos para cirurgia na coluna.

A empresa afirmou que o dinheiro se refere a royalties, porque os médicos ajudaram no desenvolvimento dos dispositivos. O curioso é que esses médicos estão entre os que mais indicam as cirurgias no sistema público de saúde americano, o Medicare.

Só os parafusos usados para perfurar a coluna custam US$ 2.000 cada um. Mas, segundo o Medicare, o custo de fabricação não passa de US$ 100.

"Você pode facilmente colocar US$ 30 mil em materiais durante uma cirurgia de hérnia de disco", diz Charles Rose, cirurgião de coluna da Universidade da Califórnia que criou o grupo "Associação de Ética Médica" para combater os conflitos de interesse.

"Muitas cirurgias estão sendo feitas em situações em que não há evidência de que vão funcionar", afirmou à Folha Rosemary Gibson, autora do livro "The Treatment Trap".

TAMBÉM NO BRASIL

No Brasil, a situação é parecida, segundo o cardiologista Bráulio Luna Filho, conselheiro do Cremesp (Conselho Regional de Medicina). "O problema é que ninguém denuncia. Mas o que anda acontecendo é criminoso."

Segundo ele, o Cremesp discute criar uma resolução estadual que discipline os conflitos de interesses na área de medicamentos e de dispositivos.

"Sabemos dos exageros, mas fazemos de conta que não sabemos", diz Guilherme Barcellos, pesquisador especializado em conflitos de interesse.

Em 2010, o CFM (Conselho Federal de Medicina) publicou uma resolução que proíbe comissões para a prescrição de materiais implantáveis, órteses e próteses. A resolução também impede que o médico exija a marca do material a ser usado.

Fonte:  http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/1090514-peso-da-industria-pode-estimular-mais-cirurgias-de-coluna.shtml

Pistorius vai competir em duas provas nos Jogos Olímpicos de Londres


Depois de se tornar o primeiro atleta amputado a disputar um Mundial de Atletismo no ano passado, Oscar Pistorius entrará para a história novamente. O sul-africano agora vai disputar os 400m e o revezamento 4x400m nos Jogos Olímpicos de Londres. Com isso, Pistorius, que é tricampeão paralímpico, disputará a sua primeira edição dos Jogos contra atletas olímpicos.

O corredor de 25 anos foi convocado pela equipe sul-africana para a disputa do revezamento e com isso também poderá disputar a prova individual, mesmo não tendo atingido o índice necessário duas vezes, como exigia a federação sul-africana. Na semana passada, o atleta chegou a dar entrevistas revelando a sua decepção, pois ficou a 0,22s da marca que ele já atingira uma vez. O caso, porém, teve uma reviravolta por causa da sua inclusão na equipe do revezamento e agora Pistorius poderá disputar as duas provas.


- Ele foi convocado para o time olímpico (no revezamento). Em seguida veio a questão se ele poderia correr nos 400m e ele pode porque faz parte do time. Ele correu a eliminatória (individual) e, se não fizesse parte do time, não poderia ir para as Olimpíadas - afrirmou o diretor-executivo da Confederação Sul-Afriana, Tubby Reddy.

Apelidado de Blade Runner, Pistorius, de 25 anos, disse estar orgulhoso por representar o seu país nos Jogos Olímpicos.

- Hoje é verdadeiramente um dos mais orgulhosos dias da minha vida. Ser escolhido para representar a África do Sul nos 400m e no revezamento 4x400m é uma hora. Estou orgulhoso pelos anos de trabalho duro, determinação e sacrifício - disse Pistorius.

Pistorius tem as duas pernas amputadas e corre com próteses de fibra de carbono. Ele começou a competir contra atletas sem deficiência em 2007, mas uma decisão da IAAF o baniu das competições porque a entidade considerou que suas próteses lhe faziam ganhar velocidade. Um ano depois, o atleta mudou o equipamento do qual era feito as próteses, foi submetido a testes científicos e conseguiu comprovar que não tinha nenhuma vantagem, ganhando a chance de buscar índices para competir nas principais competições do planeta.

Pistorius acabou não conseguindo índice para os Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008, mas nas Paralimpíadas da China ele faturou o ouro nos 100m, 200m e 400m. Pistorius também vai disputar os Jogos Paralímpicos de Londres, quando vai defender seus três títulos.


Fonte:  http://oglobo.globo.com/olimpiadas2012/pistorius-vai-competir-em-duas-provas-em-londres-5386776